TRÊS PESOS E DUAS MEDIDAS: Fernanda X farmacêutico X o advogado que matou um casal na Terceira Ponte fazendo racha

O texto é OPINIÃO, não se trata de Reportagem, notícia, é a visão da jornalista sobre os fatos. Pra mim já deu esta prisão…

Fernanda Scherrer já completou 90 dias detida em Cachoeiro de Itapemirim e nenhum habeas corpus é deferido a favor dela, a fiança foi uma das mais altas que já vi nestes 20 anos de jornalismos por aqui.

O homem que mantinha uma farmácia clandestina em São José das Torres, Mimoso do Sul, foi preso em flagrante, estava com alvará falso, a polícia encontrou muitas caixas de remédios que foram furtadas do Hospital Menino Jesus de Itapemirim, ele confessou que o irmão, farmacêutico era quem furtava, vendida medicamentos controlados sem receita médica, podendo levar uma pessoa a morte, além de remédios vencidos. Pasmem, na audiência de custódia ele foi solto sem que o juiz estipulasse qualquer fiança.  

O trabalho da polícia todo em vão. Combustível nas viaturas, horas e horas averiguando caixa a caixa de remédio, trabalho jogado no lixo.

Eu nunca estive ao lado do crime, senhores, nem muito menos sou a favor de atos que possam fazer uma pessoa a levar uma vantagem sobre a outra. Não concordo com a corrupção, sou meio roceira e cafona, como acham algumas pessoas, sou até considerada bobinha em não pegar nada que oferecem. E olha que já me ofereceram até uma chácara…

Mas eu não consigo compreender como uma Lei pode ser tão dura com uns e com outros tão frouxa. E não entendo mesmo de prisões.  

Eu não sei o que é pior, se é uma pessoa com um certificado sem conhecimento, ser nomeado em um cargo público e não ter a competência para o exercício da função, ou um vender um remédio roubado de um hospital, de três postos de saúde, sem receita e vencido a uma pessoa doente. 

Não entendo mesmo de leis, já pensei estudar direito, desistir quando vi como é que funciona de fato esse tal de direito. Quando vejo na TV os escândalos que envolvem os homens das supremas cortes e os benefícios que eles tanto tem direitos…

Um determinado prefeito é pego com grande quantia em dinheiro, arma e também é investigado numa mesma operação, mas ele não vai preso…

Eu acho que sou anormal, e gosto de ser assim, já tive uma oportunidade de trabalho, uma assessoria especial que eu ia receber um pouco de R$6.000.00 e nem precisava cumprir horário, e seu eu não quisesse fazer nada, nem precisava. Aliás, recebi de um certo pastor que era muito ligado ao chefe maior conselhos para que usasse a sala de dele e fingisse que tivesse trabalhando. Senti-me mal, vergonha e entreguei o cargo de mais de R$6.000.00 com seis dias de nomeação.

Observe, senhores, leitores. Os vereadores de Itapemirim cobrando do gestor a compra de medicamento por faltar nos postos de saúde, e o farmacêutico furtava e levava para o irmão que tinha uma farmácia clandestina em São José das Torres e ele outra no Gomes.

Não bastasse, senhores, leitores, o sujeito vender remédio controlado sem receita podendo matar uma pessoa, ainda com data de validade vencida e furtados, pagos com o dinheiro da própria população, ele foi solto. Caixas e mais caixas de medicamentos com carimbo da Prefeitura de Itapemirim.

Em meio aos remédios, carimbos das prefeituras de Piúma e Atílio Vivácqua.

O farmacêutico ‘ladrão’ deverá ser posto também em liberdade, e o nome dele não pode ser citado. Ora ora. Qual crime é pior que o outro? Furtar remédios e deixar a população sentir dor e morrer, vender certificados para quem se omite a fazer o curso?

E qual o castigo e pena para ambos? Para um, a fiança é alta e a prisão parece ser perpétua e já parece ter tido até condenação, para outros, não.

Eu estou apenas questionando: três pesos e duas medidas?

Depois não me digam que não há perseguição…

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*