Sérgio Sá para prefeito de Vitória pelo PSB e do Rede, Laís Garcia para vice

Com gafe no protocolo, o cerimonial ista deixou sem a palavra a rainha do PSB, Neide Lima – co-fundadora do Partido, membro do diretório Nacional que estava representando Dora Pires – Secretária Nacional da Mulher Socialista. No mais Sérgio Sá e Laís são os nomes escolhidos a Prefeitura de Vitória

A convenção do PSB em Vitória foi realizada na noite de quinta, 10 foi oficializada a coligação “Vitória um Passo Adiante” composta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), Partido Republicano da Ordem Social (Pros), Partido da Mulher Brasileira (PMB) e Rede Sustentabilidade, a coligação tem Sérgio Sá (PSB) como candidato a prefeito da capital e a pedagoga Laís Garcia (Rede) para vice. 

“Vamos juntos escrever uma nova história para Vitória. Depois de 15 anos me capacitando como gestor público, e desde 2019 como pré-candidato realizando efetivo diálogo com a sociedade de Vitória, escutando as demandas e apresentando ideias e propostas para a cidade, tivemos a nossa convenção em que meu nome foi homologado como candidato a prefeito de Vitória. Fico muito feliz, é uma satisfação que traduz o legado de toda minha trajetória e dedicação por Vitória. Agora, vamos seguir trabalhando para apresentar as nossas propostas a população visando uma cidade mais inclusiva, inteligente, humana e sustentável”, frisou Sérgio Sá.

A candidata a vice-prefeita, Laís Garcia, ressaltou que a coligação “Vitória um Passo”. Fui aprovada como a vice de Sérgio Sá, que será o nosso candidato a prefeito. Sérgio é uma pessoa técnica, competente e com compromisso social, conhece bem a cidade e vem para contribuir muito. Me orgulho em poder caminhar ao lado dele. Estou muito feliz por fazer parte desse projeto, em compor a chapa e alinhar propostas. Esse é um momento importante para todos nós. Nesse novo normal, estamos descobrindo mais ainda a importância do diálogo, da escuta e da união. Sérgio Sá, eu e você vamos levantar essa bandeira juntos”, disse.

Carreira

Sérgio Sá já foi secretário de Habitação na gestão de João Coser (PT), vereador de Vitória e, atualmente, é vice-prefeito na gestão de Luciano Rezende (Cidadania), atuou também atuou como secretário municipal de Obras, de onde foi exonerado após defender seu projeto eleitoral deste ano. Essas experiências, segundo Sá deram bagagem como gestor público. “A máquina da Prefeitura de Vitória não é simples. Nos últimos mandatos vi que os gestores tinham dificuldade de operar essa estrutura por não conhecê-la muito bem. Sou o que mais conhece a máquina pública de Vitória”, afirma.

Na Secretaria de Habitação Sérgio teve oportunidade de conhecer as demandas das classes menos favorecidas de Vitória. “Vi o quanto é importante implementar políticas públicas para os mais vulneráveis”, disse. Para ele, a gestão de Luciano tem como algumas marcas de seu trabalho a “falta de diálogo, de planejamento e de entregas para a cidade”. 

Críticas à gestão de Luciano Rezende deram o tom do discurso do socialista que frisou ter sido negligenciada a participação popular nos últimos anos e que ele nunca foi envolvido nos projetos, nas discussões e deliberações. A falta de diálogo de Luciano Rezende não é somente com sua equipe, mas também com os munícipes. “Falta diálogo com o cidadão. O Orçamento Participativo, que é uma das principais ferramentas de discussão, acabou”, destaca.

O socialista salientou também que, caso chegue à prefeitura de Vitória, pretende fazer retomada da economia para geração de emprego e renda, uma vez que a pandemia da Covid-19 causou a queda da arrecadação e entre empréstimos e financiamentos a gestão de Luciano Rezende deixa uma dívida de cerca de R$ 1 bilhão, informa. Sérgio Sá aponta ainda que pretende enfrentar as grandes dificuldades, como as questões da mobilidade urbana, segurança pública e urbanização das favelas. 

Presenças

Registraram presença no evento os deputados estaduais: José Esmeraldo e Bruno Lamas, o deputado federal Ted Conti, os secretários estaduais: Tyago Hoffman representando o governador, Victor Ângelo – de Educação, Ricardo Pessanha – de Governo,  Sandra Shirley- Sub SETADES, Paulo Meneguelli – Sub de Desenvolvimento.

Marcaram presença também os presidentes dos Partidos da Coligação: Thaís Sousa- PROS Vitória – ES, Willians Bermudes – PMB Vitória, Roberto Martins – Vereador Vitória e REDE Vitória.

Presentes também, Alberto Gavini – Presidente Estadual do PSB, Coronel Emerich – Secretário Municipal de Segurança e Trânsito Vila Velha, Neide Lima – Representante Nacional da Secretaria das Mulheres.

A presidente nacional do Negritude Socialista Valneide Nascimento, Carlos Siqueira Presidente Nacional do PSB e Renato Casagrande – Governador do Estado do Espírito Santo enviaram vídeos.

Gafe

Um protocolo é um protocolo, e este é fundamental na realização de um evento tão glamoroso quando a convenção do partido Socialista Brasileiro para a escolha do nome do candidato da prefeitura da capital do Estado Vitória. O cerimonialista deveria ter tido atenção aos convidados, Neide Lima – co-fundadora do partido no Estado estava representando a secretária nacional das mulheres Dora Pires não teve a palavra cedida, nem ao menos o convite para compor a mesa. Estranho também a ausência da Vice-governadora. O PSB tem uma mulher negra como vice-governadora, defende a presença da mulher na política, mas deixou de fora a considerada Rainha do PSB Capixaba.   

O Secretário Geral do PSB Estadual Carlos Rafael entretanto disse que todos que falaram no evento citaram o nome de Neide Lima como convidada especial que permaneceu sentada e ninguém teria dito que ela estaria designada com o papel de representar a Secretaria Nacional das Mulheres em nome de Dora Pires e o palanque foi composto por um mínimo de pessoas por conta da pandemia.

Desabafo

“Fiquei muito decepcionada com a Convenção de Vitória, como representante da Secretaria Nacional de Mulheres a Secretária Nacional de Mulheres Dora Pires pediu para eu representá-lá. 7 meses sem sair de casa, a primeira vez que sai muito feliz por estar indo na Convenção do partido que ajudei a construir e com a responsabilidade de falar em nome da Secretária Nacional, para levar o apoio das Mulheres para o nosso candidato a Prefeito Sérgio de Sá!
Como co-fundadora do PSB, e fundadora do Movimento de Mulheres do ES, membro da Executiva Estadual, e você membro do Diretório Nacional e sendo uma das Secretárias co-fundadora da Secretaria Nacional de Mulheres. Me senti HUMILHADA em nome de todas as eleitoras que é a maioria e qual eu represento no Comitê Multipartidário de Mulheres do ES.
Se eu soubesse que eu não poderia representar a Secretaria Nacional, a você nossa Secretária Nacional a Senhora Dora Pires teria gravado um vídeo de apoio como fez a nossa Secretária Nacional da Negritude Valneide Nascimento”! (Desabafo de Neide no grupo Sou Mulher sou PSB)

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*