Publicidade

Rose quer Congresso mais rápido contra violência às mulheres

A senadora Rose de Freitas (MDB-ES) conclamou o Congresso a apressar a tramitação de projetos de lei em defesa da mulher ao comentar a nova pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgada nesta segunda-feira, 7, apontando a perda de emprego e renda na pandemia como principal fator da violência contra a mulher. 

“Não é possível que o Congresso permaneça atuando lentamente contra atos de violência contra a mulher que se repetem absurdamente, com causas as mais diversas”, declarou a senadora, autora de projetos de lei em tramitação em defesa da causa feminina.

Um desses projetos é o PL 3342/2020. A proposta abre linha de crédito especial de até R$ 20 mil, com prazo de pagamento de dois anos e carência de um ano, para mulheres empreendedoras afetadas por perda de autonomia financeira causada pela pandemia, como esteticistas, cabeleireiras e comerciantes de roupas, cosméticos e alimentos.

Foi justamente a falta de autonomia financeira, pelo desemprego e queda da renda, que mais colocou em risco a segurança das mulheres, mais do que a quarentena em si, apontou a terceira edição da pesquisa “A vitimização de mulheres no Brasil”, realizada pelo Instituto Datafolha por encomenda do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Segundo o levantamento, realizado presencialmente com 2.079 mulheres em 130 municípios, entre as que sofreram violência na pandemia, 25% afirmam que a perda de emprego e renda e, em consequência, a impossibilidade de trabalhar para garantir o próprio sustento, foram os fatores que mais pesaram. Diz a pesquisa ainda que 22% destacaram a maior convivência com o agressor como determinante para os atos violentos. 

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *