Pai de santo é preso em Piúma acusado de estuprar três irmãos crianças

O caso envolve o encantamento da “Pomba Gira”, três irmãos crianças, e três homens, Adeilson, Júnior e Ramon

O pai de Santo Adeilson Santo Arouxa, 58 anos, residente na rua Oenes Taylor, no bairro Itaputanga, em Piúma foi preso acusado de estuprar um adolescente de 13 anos e duas crianças, um menino de sete e a menina de 4 anos, todos irmãos. Ele foi intimado a prestar depoimento na Delegacia da Polícia Civil – PC, na tarde desta quinta-feira, 10 após a mãe das crianças o denunciar. O delegado após ouvir as vítimas e o acusado solicitou ao juiz a prisão preventiva do pai de santo, de Júnior Almeida Bento, Tuiú, 19 anos e Ramon, também acusados do mesmo crime.

A história é forte e macabra, na Delegacia os policiais chegaram a comprar o fato com a história de João de Deus. A Reportagem é com base nos depoimentos prestados a PC e no inquérito do delegado David de Santana Gomes que conduziu Junior e Adeilson para o Presídio de Xuri.

 

Entenda o caso

Na delegacia, a informação é que a mãe das crianças sai de casa cedo, trabalha fora em um quiosque e os filhos ficam no apartamento, ela vai e volta sempre para ver se está tudo certo com eles. “Todos os dias enquanto trabalha sai durante algumas vezes, dá uma olhadinha e em certo período leva as crianças, os dois mais novos, o de sete e a menina de quatro anos para passar algumas horas, mas não pode ficar muito tempo no trabalho dela. Eles almoçam também com ela. A mãe tem uma irmã, que mora em frente e ajuda a olhar, anteontem a tarde ela estava trabalhando, uma vizinha a procurou dizendo que estava desconfiada de que as crianças estavam tendo algum problema em casa, porque elas gritavam e choravam muito. Neste momento os dois menores estavam com a mãe no quiosque, instante em que começou a indaga-los. O menino se sete anos começou a contar que o irmão mais velho, de 13 anos estava colocando o pinto dele no bumbum dele. Dalí ela foi apertando, conversando com um e outro e foi conversar com o mais velho e ele confirmou que estava fazendo aquilo com os irmãos, mas estava sendo induzido pelo pai de santo, e ele já estava várias vezes mantendo relação sexual com Adeilson e com mais duas pessoas, um que já foi namorado do pai de santo e um outro que frequentava a casa”, relatou a policial civil.

De acordo com o depoimento do adolescente a Polícia, ele teria sido instruído pelo pai de santo a fazer com os irmãos. E o menino de 7 anos era obrigado a fazer sexo oral com ele. Ele contou que o menino de sete anos negava, mas ele segurava cabeça dele e o obrigava. “Ele fez a cabeça do adolescente a segurar no pênis do menino de sete e fazer fotos e enviar para ele. O de 13 anos fazia sexo oral na irmã de quatro anos. Ele disse que fazia tudo isso instruído pelo pai de santo”, narrou a PC.

No momento que a mãe tomou conhecimento, segundo a PC, ela foi para casa desesperada, por volta das 15horas para descobrir toda a história o que estava ocorrendo com os filhos.

Chorando, muito comovida com a situação, a mãe narrou que tudo começou, em outubro quando foi ao Centro Espírita Abassa Yêye Tobossy do pai Adeilson.

As três crianças contaram em detalhes tudo que vinha ocorrendo, segundo a PC. “A cada pergunta que fazia as crianças, de forma isolada, elas contavam detalhes e mais detalhes do crime. Em outubro a mãe foi convidada a conhecer o Centro Espírita e ela disse que gostou, que o pai de santo era muito simpático, atencioso, uma pessoa muito solícita. O filho agradou do ambiente e passou a frequentar, mesmo fora dos dias das atividades, conhecidas como “Toque” que ocorria de 15 em 15 dias, sempre as quartas-feiras, mas o menino passou a frequentar todo dia, toda hora e acabou acontecendo esses fatos. Ele conta que foram mais de 10 vezes”.

 

A intimação e prisão

 

O delegado logo que tomou conhecimento dos fatos os intimou e pediu que os policias fossem atrás do pai de santo, que por sua vez chamou o segundo acusado envolvido na situação, eles foram prestar esclarecimentos, após serem ouvidos, o delegado pediu a prisão dos três. O pai de santo, Júnior, o Tuiú e o namorado de Adeilson, Ramon. “Nós aguardamos a análise do juiz, das oitivas e das mídias contendo os depoimentos dos menores e dos acusados e o juiz expediu o mandado de prisão preventiva, de imediato prendemos os dois, Júnior e o pai de santo, o levamos a Xuri, penitenciária de crimes sexuais. Estamos na captura do Ramon que está fora de Piúma. As crianças foram encaminhadas a exames de corpo delito”, explicou Mara Batista, investigadora da Civil.

De acordo com a Civil, depois do interrogatório da mãe ao filho de 13 anos, o adolescente enviou mensagem de texto ao pai de santo, que pediu que ele negasse tudo que fosse perguntado na delegacia. Mas o menino não negou nada, contou os detalhes.

Os acusados vão responder ser condenados por estupro de vulnerável três vezes.

 

A mãe deixava os filhos sozinhos em casa

 

O depoimento da mãe a polícia conta que ela se deixava os filhos em casa dormindo e saia as 7h00 para trabalhar. Durante o expediente algumas vezes vai iria em casa averiguar se estava tudo bem. Declarou a mãe que se sentia segura com os filhos em casa porque reside em um prédio que tem vários moradores e pessoas estão por perto. Afirmou ainda que tem um irmão e uma cunhada que moram em frente e estão sempre auxiliando no sentido de vigiar as crianças.

Depois de conhecer o Centro, ser bem atendida pelo pai de santo, não se importou que o filho passasse a frequentar o ambiente, achava que Adeilson jamais faria algum mal a ele.

Após a vizinha falar da desconfiança que tinha com o choro das crianças mais novas ela foi para casa e ao indagar o filho de sete anos ele disse: “… meu irmão está mexendo na florzinha da minha irmã! E tio Adeilson também faz isto”. Ao ser questionado sobre maiores detalhes e se também estava sofrendo algum mal, a criança disse o seguinte. “Meu irmão está enfiando o pinto no meu bumbum” e o tio Adeilson também colocou o pinto no meu bumbum”, contou a mãe em depoimento à polícia que o filho de sete anos confidenciou a ela.

O filho de 13 anos não confirmou à mãe se viu o pai de santo fazer sexo com os irmãos, mas acredita ser verdade, pois educa os filhos para sempre falarem a verdade e a conversa do menor confere com a do mais velho.

 

Toque – atividades do Centro

 

Em depoimento à Polícia, o adolescente contou que um determinado dia em que estava no Centro sem a presença da mãe, Adeilson disse que era para vendar os olhos, tirar as roupas e vestir uma saia para encantar a “Pomba Gira” e que ele fez o que foi orientado, na sequencia o pai de santo disse que iria fazer o encantamento da “Pomba Gira” fazendo amor, neste dia aconteceu o primeiro ato sexual. Adeilson penetrou o pênis no ânus da vítima. A vítima frisou que teve várias vezes relação sexual com o pai, sendo convencido da mesma forma.

O relato do menino é forte, descreve dor e sangramento. Nas duas primeiras vezes em que teve relação sexual com o pai de santo estavam sozinhos. Mas nas outras vezes, (mais de 10), as relações sexuais foram com o pai Ramon (namorado do pai de santo) e o Júnior Almeida Bento, o Tuiú (irmão de criação da mãe das crianças).

Contou o adolescente que teve penetração dos três, mas jamais os penetrou e que, além da penetração também era induzido a fazer sexo oral com os três.

A vítima relata que depois de induzido a levar os dois irmãos para o centro, a irmã mais nova, de 4 anos e o irmão de 7. E que uma das vezes a vítima foi induzida com a mesma história (encantamento da Pomba Gira) a praticar relação sexual com o irmão de sete anos que ambos foram orientados a tirar as roupas e penetrar seu órgão sexual no ânus do irmão. Ele afirmou que não conseguiu porque o irmão falou: “para, para, para”! Após este dia, o menino de 13 anos foi orientado pelo pai de santo a continuar mantendo relação com o irmão em casa, era para ir tentando devagar. Passou então o adolescente a manter relação sexual com o irmão de sete anos em casa, quando a mãe não estava presente. Quanto a irmã mais nova, de quatro anos, a vítima foi induzida a tirar a roupa e fazer sexo oral com ela, que o ato foi cometido por duas vezes na frente do pai e outras vezes na frente do Ramon e do Júnior e quando aconteciam os três se masturbavam.

 

Pai de santo nega tudo chora

 

O pai de santo Adeilson Santos Arouxo negou tudo a Polícia, disse que a mãe das crianças está se inventando tudo para encobrir o problema do filho que faz sexo com os irmãos mais novos, que o caso ocorre na casa dela.

À polícia Adeilson disse que não tem hábito de receber crianças no Centro sem a companhia de pessoas maiores, que somente duas vezes o adolescente esteve em sua casa sozinho, das outras vezes frequentou a casa na companhia do tio Tuiú, que iam na casa para fazer fio de conta (cordão com miçangas). Negou que recebesse outras crianças sozinho e quem ne gosta de conviver com menores devido a criação atual ser muito diferente a da sua época. Relatou Arouxo que não teve contato nos dias 08 e 09 com o adolescente e que não trocou mensagem por telefone. Ele nega ter feito qualquer mal as crianças, principalmente ter mantido relação sexual com o de 13 anos e os irmãos dele. Salientou à polícia que os três estão mentindo e os fatos narrados são caluniosos. Ele acredita que a mãe das crianças contou a história para os filhos contarem para justificar o real acontecimento, que o menino mais velho estava mantendo relação sexual com os irmãos, que a vizinhança toda ficou sabendo deste fato e agora a mãe das crianças está tentando reverter a situação. Disse que é inocente, mora há 20 anos em Piúma, recebe pessoas de “peso” no Centro Espírita, que ninguém tem nada para falar contra a pessoa dele.

Ramon é filho de santo da casa, que já teve um envolvimento intimo (foram namorados) por três anos, que depois a relação acabou, agora são amigos. Quando Ramon vem para Piúma fica na casa dele, e o mesmo é casado, tem filhos e fica também no município de Cariacica. Tuiú também é filho de santo, na verdade quase toda a família frequenta o Centro, que Tuiú mora em outra residência. Pai Adeilson confessou chorando que Tuiú está muito chateado com a irmã que segundo o acusado ela está querendo resolver problema do filho dela colocando a culpa em outros.

 

 

Tuiú também nega o crime

 

Em depoimento à polícia, Júnior Almeida Bento, o Tuiú, irmão adotivo da mãe das crianças vítimas relatou que tem dois anos e meio que frequenta a Casa Espírita.

Começou a frequentar com 16 anos, fora levado por pessoas da família e desde então passou a frequentar o local. Negou que tivesse morado no Centro e que frequenta de 15 em 15 dias (dias que tem atividades toque).

Júnior disse que nunca levou o sobrinho ao Centro Espírita e que jamais ficou sozinho na Casa na companhia dos sobrinhos e do Adeilson. Contou que as crianças frequentavam o centro com a mãe. Disse que conhece o Ramon e que são irmãos de santo.

Tuiú negou que soubesse que os sobrinhos fossem sozinhos ao centro e que não teve relação sexual como sobrinhos e nunca viu o pai de santo praticar sexo com as crianças.

Ressaltou à polícia que estuprador não tem vez, não faria este tipo de coisa com os sobrinhos, afirmou que a irmã inventou esta situação por brigas entre famílias, que recentemente se desentenderam e estavam uns sem falar com os outros. Nunca ouviu o pai falar sobre sofrer de problemas de ereção e que jamais falara sobre assuntos sexuais com Adeilson. Contou a polícia que o sobrinho de 13 anos faz uso de bebida alcoólica e quando ele bebe “pega espírito ruim”, que o menino faz coisas estranhas, que é difícil controlar o sobrinho, que ele estava tendo relação com os irmãos quando estava possuído.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*