Maio Amarelo: Adesivaço alerta sobre atropelamento de animais

Um “adesivaço” chamou a atenção de motoristas na tarde desta terça-feira (14) em frente à Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales). De iniciativa da deputada Jante de Sá (PSB), a ação fez parte do “Maio Amarelo”, mês de segurança no trânsito, e distribuiu adesivos com a frase “Eu freio para animais”. O objetivo é conscientizar a população sobre a importância de parar o carro para a travessia não só de humanos, mas também dos bichos. 

“É imporante que as pessoas que gostam dos animais e que entendem que é necessário a gente reduzir cada vez mais os níveis de atropelamento de animais, que usem esse adesivo para poder ir gerando consciência nas outras pessoas que passam (…) e que veem esse adesivo pregado no carro”, explicou a deputada.

No Brasil, cerca de 475 milhões de animais silvestres morrem por ano nas rodovias. Dados coletados entre 2018 e 2019 registraram 17 óbitos por segundo e 1,3 milhão por dia. Janete, que preside a Comissão de Proteção e Bem-Estar dos Animais da Ales, ressaltou que muitos bichos agonizam ou acabam morrendo por falta de socorro. 

“A gente trabalha essa questão de uma forma educativa, porque a gente sabe que os índices são muito elevados e que o animal fica, muitas vezes, agonizando. Nós socorremos dias atrás um animal que, desde sábado, estava agonizando por um atropelamento, porque a prefeitura não funciona no final de semana (…). Imagine o sofrimento de um animal. Animal sente dor, frio, fome, sede, então a gente tem que se colocar nesse lugar e estar fazendo a nossa parte em favor da paz, do trânsito, em favor da defesa de nossos animais (…)”, frisou. 

Elbamar Caversan, assistente social e protetora dos animais, participou como voluntária do “adesivaço”. Para ela, é doloroso ver um animal atropelado. “O que está atropelado e que a gente vê com vida, a gente consegue tentar salvar. Mas aqueles que já se encontram sem vida, a gente não pode fazer nada a não ser ter compaixão e pedir ao município que o recolha. Porque é doloroso a gente que é protetor, que é tutor, passar e ver um bichinho atropelado e morto por falta de conscientização da população, em especial dos motoristas”, contou.

Uma das motoristas que teve seu veículo adesivado foi a professora Flávia Almeida, que também é tutora e afirma que freia o carro para os bichinhos no trânsito. “Claro (que eu freio), eu também tenho um pet. Sim, com certeza”, declarou.

Campanha

Os adesivos distribuídos na ação podem ser retirados gratuitamente mediante agendamento na Comissão de Proteção e Bem-estar dos Animais da Ales, pelo número (27) 99816-3788.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade