Publicidade

Mãe é assassinada tentando proteger o filho embaixo da cama em Anchieta

Mãe é assassinada com sete tiros na frente do filho que levou um tiro na cabeça embaixo da cama em Nova Jerusalém/Anchieta

No corpo de Simone sete perfurações de bala

Um crime covarde que choca o município de Anchieta, Simone Oliveira Paulino, 42 anos, foi assassinada na frente do filho, o adolescente Matheus Oliveira Paulino, 13 anos, em Anchieta.
Os corpos foram encontrados na noite desta terça-feira, 20, pela Perícia Técnica da Polícia Civil. Matheus com uma perfuração na cabeça e Simone com sete tiros.

O duplo homicídio ocorreu na madrugada desta terça-feira 20. As 3h00 da manhã vizinhos ouviram tiros na casa, mas tiveram medo de saírem para ver se havia vítimas, ele acionaram a Polícia Militar – PM que passou pela rua e não viu nada de movimentação estranha.

Por volta das 17h00, a jornalista Luciana Máximo esteve no local do crime, na Rua Manoel Malaquias Nunes Vieira, número 61, onde Simone residia com o filho.

Pela manhã, a PM teria sido acionada, passou pela rua, mas não verificou a casa.

A PM isolou a área e só a noite a Perícia constatou mãe e filho mortos embaixo da cama

Às 15h00, a supervisora da Guarda Municipal de Anchieta acionou a PM e disse que havia informação de arrombamento na residência de número 61, quando as guarnições da Guarda Municipal -GM e da PM foram ao local e descobriu um corpo.

À noite, a Perícia encontrou o corpo de Simone ao lado do filho, ambos, embaixo da cama. Ela estava na frente do corpo do filho.

A Reportagem recebeu informações de que Mateus era marrento e bastante violento, ele chegou a agredir a mãe algumas vezes, inclusive na segunda-feira.

Histórico no crime

No bairro Nova Jerusalém, Mateus estava furtando muitas casas e estava jurado de morte. O adolescente tem um curriculum extenso na vida criminal, com assaltos, roubos, furtos e envolvimento com o tráfico de drogas.

Populares disseram que ele havia residido algum tempo com o pai, mas não se permitiu escolher outro caminho que não fosse a criminalidade.

Abrigo para o filho

A mãe tentou com parentes outro lugar para o filho não ter o fim que teve, porém, com medo, os parentes teriam se reusado a dar abrigo ao adolescente. E ela então assumiu a responsabilidade de ficar com o filho, até na hora do triste assassinato.

Esperavam o assassino

Pelo cenário no interior da residência onde Simone e Mateus moravam tanto a mãe quanto o filho já esperavam esta retaliação, haviam duas portas na casa, as duas estavam, uma com o sofá atrás e a outra com um fogão obstruindo-as, ou seja, sugere-se que eles já estavam à espera do algoz.

O assassino arrombou a porta da cozinha e provavelmente Matheus correu primeiro e se escondeu debaixo da cama e Simone acabou ficando na frente do filho. 

SML

Os corpos foram conduzidos ao Serviço Médico Legal – SML de Cachoeiro de Itapemirim onde serão necropsiados e liberados para sepultamento.

Quem matou

A Polícia Militar permaneceu no local até a retirada dos corpos, a investigação ficará a cargo da Polícia Civil de Anchieta. Ninguém foi preso até o momento.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *