Lívia Queiróz leva o samba de raiz à Semana Capixaba mineira amanhã

Ela é uma delícia de ouvir, ela é uma mistura paradoxal, de suavidade e agressividade na voz grave e cheia de emoção. Lívia Queiróz. Tem uma presença artística que marca todas as suas apresentações. Apaixonadíssima por Piúma, onde conquistou o amor da sua vida, a cantora é presença garantida, neste sábado, 12, às 12, no palco da Praça Dona Carmem, no evento Semana Capixaba Mineira.

“É uma alegria imensa poder tocar em Piúma. Como frequento a cidade desde criança, me sinto um pouco capixaba também. Poder tocar no dia das crianças em Piúma é um presente, é como se eu voltasse no tempo e me visse nessa praia brincando com minha família e amigos queridos. Principalmente em um festival que une os músicos de Minas e do Espírito Santo. Promovendo esse intercâmbio cultural. Só tenho a agradecer pela oportunidade mais uma vez,” agradeceu Lívia.

Livia Queiroz. O nome é forte e seu canto é foguete que mira a Lua e acerta em cheio a alma. É porrada no olho que não pisca, para não perder um só relance. Nascida em Belo Horizonte, começou a apresentar-se em bares e casas de shows da capital. A experiência adquirida na noite mineira, em conjunto com seu timbre de contralto profundo, tornou seu canto original e único.

O ouvinte intriga-se ao ouvi-la pela primeira vez. Dos traços delicados de sua aparência, que mistura o índio e o negro, surge uma voz grave cheia de emoção, personalidade e calor humano. Seu canto agressivo, logo se mostra suave e swingado na mesma proporção. A sensação é de embarcar em um barco de madeira rústica, centenária, como nossa cultura. É navegar seguramente em tempestade de poesia, em águas da mais pura musicalidade ancestral brasileira.

Seu braço fechado por tatuagens e seus olhos puxados, denunciam: Ela não é a imagem convencional do sambista. Não se engane, ela é do Samba. Se sua imagem surpreende, sua voz ao interpretar clássicos do Samba, surpreende ainda mais.

Diversos trabalhos

Livia é conhecida por alguns trabalhos no Espírito Santo, local que frequenta desde a infância. Lá, já participou de um Coletivo de Artistas em 2013, gravou vídeos para TV’s, e se apresentou em prefeituras locais. Agora, vem ganhando os palcos de sua cidade natal. Em Belo Horizonte, já se apresentou no Teatro Alterosa, no Cine Theatro Brasil Vallourec e no Teatro Francisco Nunes.

Carreira

Em 2016 Livia Queiroz gravou seu primeiro Videoclipe, interpretando as canções Nem Ouro, Nem Prata, de Ruy Maurity e Oxóssi, de Roque Ferreira. Um trabalho realizado com primor, por Luis Evo da Primatafilmes, Rafael Dutra do Estúdio Motor, o produtor Saulo Zetum e os excepcionais instrumentistas Fábio Martins e Gabriel Goulart. O vídeo já foi visualizado mais de 300 mil vezes só na página do Facebook da cantora, além de também estar disponivel no canal de Youtube dela, e em outras plataformas, páginas e canais pela internet, ligadas a música e umbanda, com outras centenas de milhares de visualizações.

Participou de um processo seletivo do Espaço Multicultural Dona Jandira, e foi aprovada para interpretar a grande cantora mineira, Clara Nunes, junta com outras grandes cantoras incluindo a própria Dona Jandira. O Tributo foi apresentado no próprio Espaço em Itatiaia, distrito de Ouro Branco/MG. Posteriormente, ganhou novos ares ao ser apresentado na Virada Cultural de Belo Horizonte de 2016, no Teatro Francisco Nunes.

Em 2016 no Maranhão, à convite da ilustre cantora Lena Garcia, Livia também recebeu enorme retorno do público, ao fazer shows na cidade de Imperatriz, inaugurar casas e ser convidada especial para entrevistas em emissoras de televisão, tendo sido destaque no JMTV da rede globo.

No final de 2017, foi convidada para realizar um show que teve bastante repercussão na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ, com grandes instrumentistas do norte fluminense.

No carnaval 2018, estreou com pé direito na Avenida. Livia foi uma das interpretes da Escola de Samba Imperavi de Ouros, cantando “Os Mistérios da Amazônia” e também uma das interpretes do Bloco Caricato Bacharéis do Samba, cantando “Pintando o Sete na Avenida!”. Ambos os sambas de autoria de Guilherme Mocidade. Neste último, sagrando-se campeã do carnaval de BH junto ao Bloco Caricato.

Em 2019, repete o feito e ganha o bi consecutivo do carnaval de Belo Horizonte como uma das interpretes do Bloco Caricato Bacharéis do Samba, cantando “Quem Dança Seus Males Espanta” de autoria de Guilherme Mocidade, Livia levantou mais uma vez a avenida ao lado do cantor e compositor Mauro Bainha e do próprio Mocidade.

Lívia Queiroz é figura frequente de se encontrar em rodas de samba por toda a capital mineira. Com uma presença de palco original e carismática, faz do sorriso que cativa, sua marca registrada. Seu repertório é formado por samba, música regional e todo o universo que compõe o cancioneiro popular.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*