Idoso de Alfredo Chaves aguarda no PA doação de uma cama hospitalar para voltar para casa

O drama da família é como levar o aposentado para casa, ele precisa de uma cama hospitalar

Seu Waldemar perdeu os movimentos do corpo precisa de uma cama hospitalar, a família não tem dinheiro para comprar

O aposentado Waldemar Pinto da Victoria, 82 anos, residente no bairro Dona Macrina, em Alfredo Chaves, passou mal na semana passada e foi lavado ao Pronto Atendimento Médico – PA e necessita de uma cama hospitalar para continuar sendo cuidado em casa, já que ele perdeu os movimentos após sofrer uma isquemia Cerebral.

Informações da família dão conta que antes de seu Waldemar sofrer a isquemia, já apresentava problemas de coluna.

A situação da família do aposentado é complexa, pois como ele não tem mais os movimentos precisa de atenção, uso de fraldas, sonda e medicamentos.  A casa fica localizada no morro, num lugar de acesso mais restrito para veículos, o que compromete a locomoção.

A família está necessitando muito dessa cama hospitalar.  Caso alguém tenha e possa emprestar será de muita valia, ou mesmo alugar, para ele ser removido para sua residência e cuidado pela família.

A neta disse que nesta segunda-feira o avô será encaminhado de ambulância a outro município, onde será consultado por três especialistas: um urologista, um cardiologista e um neurologista, que farão um diagnóstico mais preciso do quadro dele, pois outros problemas o acometem, como por exemplo, bexigona. “Não se sabe se é por conta da paralisia que ele teve ou por causa da próstata que inchou. Ele só consegue ser transportado por maca, está com problemas na coluna e ficar sentado no carro também não tem como, não é qualquer movimento que podemos fazer com ele. Estamos em três para limpar, ajudar… temos que ter um homem para colocar na cadeira para dar banho… só eu, minha tia e minha mãe não aguentamos. Estou pensando já na semana que as aulas retornarem, o que vai acontecer. Se ele defecar no horário em que eu estiver trabalhando, por exemplo, terá que ficar sujo até alguém chegar. Quem é que vai limpar?  Temos que correr atrás de uma pessoa também que nos ajude a dar banho”, disse a neta.

Seu Waldemar já estava fazendo fisioterapia por conta da coluna e na semana que vem terá de ser atendido em casa, pois não tem como ser locomovido a todo instante. Ele trabalhava na roça até recentemente, se locomovia de bicicleta, era muito independente e agora está acamado e precisa urgentemente de uma cama hospitalar. E se você puder ajudar de alguma forma, a família ficará muito agradecida!

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*