Geração de mulheres guerreiras: uma fábrica de frustradas e depressivas.

Artigo de opinião da jornalista, radialista, atriz e produtora cultural Ivny Matos

Sou de uma geração que as mulheres eram “criadas” para casar (minha mãe, por exemplo, me deu meu enxoval, lindíssimo, diga-se de passagem, quando eu tinha apenas 13 anos) e tinham que ser perfeitas: esposa dedicada, mãe carinhosa, se conseguisse trabalhar fora, tinha que ser excelente profissional, boa de cama (se não era motivo pro marido arranjar uma amante) e linda. Eu fugi completamente às regras, pois não me casei, engravidei aos 30 anos, não passei num concurso público e pra piorar sou artista, mas é melhor nem entrar em detalhes. O fato é que, com o passar do tempo e com o tão aclamado empoderamento feminino, as mulheres em vez de se libertarem, caíram ainda mais nas amarras da sociedade capitalista que passou a exigir mais e mais dessas guerreiras. Opa! Aí é que está o perigo! Começaram a nos vender uma ideia de que quanto mais a gente se arregaçar para atingir aquela perfeição do passado mais guerreiras seremos e passamos a achar bonito sermos chamadas assim. Porém, não percebemos que esse é um buraco sem fundo e quem lucra são as empresas de cosmético, roupa, estética e outras mentiras. Não! Não temos que ser lindas, gostosas, profissionais, postar a bunda a cada 5 min no instagran, ser mães solteiras perfeitas guerreiras e o caramba para ser feliz! Pára o mundo que eu quero descer! Há uma séria inversão de valores pairando sobre nossos ventres. Cuidado mulher! Não se renda ao mercado da perfeição pois ela não existe. Isso é uma fábrica de mulheres frustradas, depressivas, alcóolatras. Não seja um produto, seja você! Atenção!! Amor próprio não se resume à Mary Kay, academias, instagrans, saltos, chapinhas e unhas de gel. Busque a sua essência, o seu íntimo, não se perca nos padrões capitalistas. Não se mate de trabalhar para atingir esse padrão. Leia, medite, brinque com seu filho, caminhe na areia da praia, cozinhe para sua família e o mais importante: NÃO POSTE!

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*