Dona Martha se reúne com vereadores e pede união para governar

A prefeita Dona Martha pediu aos vereadores que trabalhem em sintonia com o Executivo para o que Piúma desenvolva

A prefeita interina de Piúma, Dona Martha Scherrer se reuniu na tarde desta quarta-feira, 23 com os vereadores e pediu que eles ajudem a administrar a cidade que está passando por um novo momento histórico.

De acordo com o vereador Tobias Scherrer, filho da prefeita Dona Martha quer dar prosseguimento aos trabalhos que estavam ocorrendo, bem como as obras. O que for preciso rever, será revisto, porém, ela pediu aos vereadores que olhem pelo município.

A título de exemplo, Tobias disse que a licitação em aberto para contratação de palco e estrutura metálica precisa ser melhor avalizada pois o valor e alto, R$2.730 milhões.  “É um momento sensível e nós precisamos de muita paciência para que um futuro próximo venha a nosso encontro, principalmente, referente a infraestrutura. Quanto as festas, não sou contra, mas esta questão precisa ser reavaliada, precisa ser revista. Inclusive algumas festas que já haviam sido programadas, foram enxugadas, hoje a prefeitura tem um palco que custa quase 10 mil, no meu ponto de vista não seria necessário, tem que existir esse equilíbrio, e para isto acontecer é necessário que haja mudança, porque em time que se ganha não se mexe, mas em time que não ganha, existe a necessidade da mudança. Uma batalha foi disponibilizada para nós vereadores e para o Poder Executivo para que um futuro próximo venha a nosso encontro e corresponda aos anseios da população de Piúma e as pessoas que visitam o nosso município”, ressaltou Tobias.

Oportunamente, Tobias, porta voz da prefeita com o jornal, deixou claro que o único objetivo é trabalhar em prol do desenvolvimento do município. “Mudanças estão por vir porque do jeito em que se encontrava não tinha como concordar.  

Presidente da Câmara contesta as mudanças: “já que é pra fazer um corte, que cortasse todos”

O presidente da Câmara, Jorge Miranda participou da reunião com a prefeita e falou com exclusividade ao jornal. Frisou que a prefeita pediu uma composição com a Casa de Leis. “Tivemos uma conversa em favor do município de Piúma, ela pediu que nós ajudássemos nos trabalhos e que déssemos continuidade aos projetos que estão chegando ao Legislativo. A Câmara vai ser coerente, nós estamos aqui para ajudar, mas também para cobrar aquilo que estiver de errado, nós vamos atuar, como atuamos com Ricardo.   

Em relação as exonerações dos secretários Jorge não concorda com todas, e foi enfático. “Entendi que algumas decisões eram para ser tomadas, mas outras não. Eu penso que, em relação algumas demissões tem de ter cautela, tem que avaliar, tem servidores do governo passado que são competentes. Já que é para tomar uma decisão radical, entre um e outro secretário, que tomasse com todos e não só alguns. Já que é pra fazer um corte, que cortasse todos, que fizesse uma transformação geral”, criticou o presidente.

Jorge Miranda defende a tese da cautela, para que não se atropele em algumas decisões com os próprios companheiros. “O município não pode parar, as obras que estavam sendo tocadas por Ricardo tem de ter continuidade, o que não pode é Piúma parar”.   

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*