Comércio vazio sendo fechado pela PM, bombeiros e fiscalização da Prefeitura e igrejas lotadas abertas

Um ‘comboio’ entre PM’s, fiscais e bombeiros para notificarem e fecharem no Cine Ritz Piúma, na noite deste domingo, 26

Os comerciantes estão indignados em Piúma. Além dos prejuízos enormes que tomaram no verão, sem movimento e com pandemia, muitos não pagam nem o que investiram, o carnaval foi o pior de todos os anos e o risco alto veio para completar as perdas. Mas, as igrejas, os cultos e missas permanecem provocando aglomerações e ocorrendo mesmo diante do risco alto, assim denuncia um comerciante que exige uma explicação.

Em vários estabelecimentos comerciais, os proprietários foram obrigados a demitirem funcionários que perderam o trabalho. Os comerciantes não têm como recuperar as perdas e nem pagar as dívidas. Hoje a Reportagem ouviu dois comerciantes e o proprietário do Cine Ritz que recebeu um comboio dos bombeiros, policiais e fiscais da Prefeitura no Cinema, com os funcionários fazendo uso de todos os equipamentos solicitados no decreto e respeitando o distanciamento solicitado no decreto.

Estacionamento da Igreja Batista do Scherrer neste domingo

Aristóteles Sader Viana, o Kiko do Cine Ritz Piúma está só ódio com o fechamento do Cinema neste domingo. Uma enorme quantidade de policiais, bombeiros e fiscais para notificarem e fecharem o estabelecimento. “Qual a diferença que hoje tem de uma igreja para o cinema? O estacionamento da Igreja Batista do Scherrer hoje tinha mais de 200 carros. Será que a Covid só existe no cinema? Eu fiquei nove meses fechado, tudo funcionando, os bares lotados, uma bagunça. Fiquei até dezembro sem funcionar, fui o último a abrir. Meu projeto agora é fechar o cinema de vez. Não vou conseguir mantê-lo aberto. Estou sem incentivo nenhum de continuar aqui. Por que a igreja pode? Por que outros lugares podem? Padarias abertas, supermercados, restaurantes. A Fiscalização vai ao cinema por quê? Eu sigo todas as regras. Temos o distanciamento, só entra com máscara, eu faço limpeza de ozônio, eu faço tudo, meus funcionários além de usar a máscara, usam a viseira por cima, eu faço tudo, eu sou prejudicado toda vez. Você chega hoje no quiosque e ninguém usa máscara, no restaurante, tem atendente que chega cuspir na sua cara. Todos sem máscaras. Eu cumpro todas as normas. Eu gastei dinheiro, para eu abrir o cinema me custou higienização de ar condicionado, eu comprei máquina de ozônio, eu duvido que tenha algum estabelecimento melhor que o meu cinema. Eu tento trabalhar dentro das normas. Meus funcionários usam luvas para mexer com dinheiro. Vocês vêm me dizer que a igreja é mais segura que o cinema, ou a igreja é mais forte que o cinema? Ou por que o eleitorado do cinema é menor que os das igrejas? Eu quero saber qual a diferença de uma igreja que tem ar condicionado pode funcionar com distanciamento e o cinema tem distanciamento e não pode funcionar. Por qual motivo”?, interroga Aristóteles Sader Viana.     

O empresário proprietário do Cinema em Piúma deixou claro que não quer que a igreja seja fechada, quer apenas que as autoridades mostrem a ele qual a diferença, se no cinema todas as regras são seguidas e mantem o distanciamento. Por que pra uns podem e outros não.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *