Publicidade

ANCHIETA: oito assassinatos neste primeiro semestre assusta a população

O mês de junho mal começou e Anchieta já contabiliza oito crimes de homicídio

Anchieta sempre foi uma cidade pacata e ótima para se viver / Foto: Deidson Ribeiro

O município de Anchieta registra oito homicídios neste ano de 2021 neste primeiro semestre. Entre as vítimas, três adolescentes, duas mulheres e cinco homens. Três somente em janeiro, um em março, dois contra adolescentes em abril e uma mulher e no dia 01 de junho, outro assassinato, no bairro Benevente. A maioria dos assassinatos tem relação com o crime, em destaque, tráfico de drogas.

O número alto de assassinatos na Pacata Anchieta chama atenção, um a vez que a cidade sempre foi tranquila e excelente para morar, conhecida pelo seu Santo, José de Anchieta, com uma história muito rica, mais de 23 praias, um povo trabalhador, mas de um tempo para cá, as notícias não tem sido muito boas, quando o assunto é violência.  

Fabiano foi assassinado a tiros quando chegava em casa de mais um plantão

No dia 17 de janeiro o técnico de enfermagem Fabiano Ferreira Batista, residente no bairro Nova Anchieta, foi assassinado na garagem de sua casa, quando retornava de mais um plantão no PA de Marataízes. Este crime já está praticamente elucidado, a delegada Maria da Glória Pessote disse que todas as pistas levam a um crime de mando. O motivo uma suposta traição da esposa de um ex-vereador de Itapemirim com o técnico de enfermagem. O inquérito está em vias de ser concluído e a Polícia Civil já sabe quem teria mandado matar Fabiano.

Comentando a matéria no Facebook do Jornal Jaqueline Azevedo criticou o bairro Nova Anchieta e a cidade. “Esse lugar nao tem segurança nenhuma! Há três anos meu pai foi assassinado nesta rua e até hoje não temos respostas dos assassinos … A prefeitura tem que investir na seguranca do municipio, pois nem visitas turísticas tem segurança nas ruas.”

Herval também chegava em casa quando foi morto a facadas – foto Arquivo pessoal

Já no dia 24 de janeiro, o vigilante Herval Cetto, 46, anos foi assassinado a facadas na porta de casa, quando chegava do trabalho. O autor foi preso em flagrante e se encontra detido, a disposição da justiça.

Pelas redes sociais Gabrielle Lua Mig comentou a morte do vigilante e pediu mais segurança. “Anchieta precisa voltar com um sistema de monitoramento por câmeras em toda a cidade, e o patrulhamento policial tem que ser reforçado! Eu mesma com a minha família saímos da cidade por causa dessa violência que impera na cidade cada vez mais! É triste ver um lugar que era tão aconchegante se tornar tão violento, as pessoas estão perdendo o amor, e banalizando vidas, e as pessoas de bom coração estão sendo penalizadas”!

No dia 26 de janeiro, um homem de 30 anos foi assassinato a tiros na Praia de Parati. A polícia investiga o crime e acredita que a vítima tenha envolvimento com o tráfico de drogas.

Graciano também foi morto a facadas em Anchieta – foto divulgação

No dia 02 de março, Graciano Carvalho, guardador de carros foi assassinado a facadas na calçada, próxima a sua residência, no bairro Nova Jerusalém.

O autor do crime se entregou na Delegacia, confessou o crime e foi solto. No mesmo dia ele gravou um vídeo afirmando que matou e matava novamente se fosse provocado dentro de sua casa. A delegada de Anchieta, Maria da Glória Pessote pediu a prisão do Zezinho Camaradinha e ajustiça expediu. Confesso, Zezinho está preso.

João Victor foi morto a tiros no bairro Nova Anchieta – foto Arquivo Pessoal

No dia 12 de abril, o adolescente João Victor Coutinho, 17 anos, foi assassinado a tiros, no bairro Nova Anchieta, Anchieta/ES.

Pelas redes sociais, Ana Paula Almeida comentou que falta oportunidade para os jovens. “Infelizmente, enquanto não tivermos oportunidades para os jovens, com políticas públicas voltadas para a transformação das vidas dos jovens de Anchieta, é triste falar, mas a realidade tende ser só esta… Sempre seremos bombardeados de notícias assim. Um menino tão bom, tinha uma vida toda pela frente. Pra gente conheceu ele pequenininho dói muito vê isso. Ninguém merece. Meus sentimentos aos familiares”.

E, na madrugada do dia 20 de abril, Simone Oliveira Paulino, 42 anos, foi assassinada na frente do filho, o adolescente Matheus Oliveira Paulino, 13 anos que também foi morto, no bairro Nova Jerusalém, em Anchieta.
Os corpos foram encontrados embaixo da cama. Matheus com uma perfuração na cabeça e Simone com sete tiros.

Simone e o filho foram mortos em baixo da cama no bairro Nova Jerusalém / Foto arquivo pessoal

A Polícia Civil prendeu por meio de um mandado de prisão, um homem no dia 12 de maio suspeito de ter assassinado Simone e Matheus no dia 20 de abril.  

Conceição foi morta em casa a facadas – Foto Arquivo pessoal

Nesta terça-feira, 01, mais um assassinato brutal em Anchieta, desta vez a vítima foi a servidora pública, Maria da Conceição Cardoso, assassinada a facadas, de camisola, no colchão, na sala em casa, no bairro Benevente, em Anchieta. O corpo dela foi encontrado no começo da noite desta terça-feira, 01 após uma vizinha receber ligação anônima, informando que a vítima teria sido esfaqueada.

A crise gera o caos

Tássio Brunoro é Gerente Municipal de Segurança Pública – Foto arquivo

A Reportagem entrou em contato com a Gerência Municipal de Segurança Pública e Social de Anchieta e conversou com o gerente, Tássio Ernesto Franco Brunoro para saber como o município de Anchieta tem enfrentado o problema da segurança na cidade, uma vez que, os números são bastante elevados em se tratando de homicídio. E nas redes sociais a população pede mais segurança.

Perguntado sobre o vídeo monitoramento que Anchieta já teve e no momento não dispõe do serviço, Tássio afirmou que esta é uma das frentes que está empreendendo. “Fizemos uma solicitação no Governo do Estado e estamos trabalhando para que em breve o serviço seja licitado”.

Para Tássio a crise social abateu Anchieta e a violência pode ter relação.Sentimos um efeito da crise social e econômica que se desencadeou no município em função da paralisação das atividades da Samarco, em 2016 e, logo após, pelos reflexos da pandemia do novo Coronavírus nas questões sanitárias, sociais e econômicas, que ainda afligem todo o mundo”.

De acordo com o gerente Municipal de Segurança Pública e Social, Tássio Brunoro segurança pública é um conjunto de ações e esforços multidisciplinar. “A educação, o esporte e o lazer, por exemplo, são importantes ferramentas na promoção da segurança pública que se encontram prejudicados em função das regras sanitárias que nos estão impostas face à pandemia do novo Coronavírus. Diante desta situação, temos investido esforços para manter presença ostensiva da Guarda Municipal e ações articuladas junto às polícias Militar e Civil, diuturnamente, em todo o município”. De acordo com Brunoro, o número acumulado de homicídios na cidade neste primeiro semestre tem sido objeto de deliberação contínua das forças de segurança e não ficarão impunes. “Importante frisar que três destes casos já têm seus investigados presos e que todos as ocorrências estão tendo total empenho para que sejam esclarecidas e seus autores sejam punidos ao rigor da lei”,

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *