ANCHIETA: Comenda Nonna Adélia conferida a Escola de Pongal com aplausos

Plenário Urias Simões da Câmara de Anchieta lotado – Foto: Assessoria de imprensa

Sessão Solene na Câmara de Anchieta emociona descendentes de italianos, reconhece a importância da identidade cultural na cidade de Anchieta.

Cláudia, diretora da Escola Tia Marlene Petri recebendo a Comenda Nonna Adelia das mãos do vereador Renato e do presidente da Câmara Cleber Pombo. Fone: Assessoria de Imprensa

A 1ª homenageada receber a Comenda Nonna Adélia foi merecidamente a Escola Municipal de ensino Fundamental Tia Marlene Petri, da comunidade de Alto Pongal, Anchieta. A sessão solene realizada na noite desta terça-feira, 27, na Câmara de Anchieta foi muito mais do que especial para todos os descendentes de italianos e anchietenses.

Foto: Assessoria de imprensa – Comenda Nonna Adélia

A sessão solene teve como pano de fundo a entrega da Comenda Nonna Adélia em homenagem a vovó Adelia Lorencini Passamani, matriarca não só do seio de sua família, referência e espelho para todos os descendentes dos colonos italianos em Anchieta.  

Foto: Assessoria de imprensa – Sessão especial na Câmara de Anchieta abrem os Festejo da Imigração Italiana em Alto Pongal

Com aplausos recebeu a comenda a Escola Tia Marlene Petri representada no evento pela sua diretora Cláudia Beatriz Lourencini Palaoro. Convém ressaltar que, por meio de diversas ações, a instituição educacional na comunidade ajuda ao longo de sua história resgatar a cultura italiana, possibilitando que as novas gerações conheçam as raízes de sua cultura.

Coral, Bambini do Pongal – Foto: Assessoria de imprensa

Oportunamente, o vereador Renato entregou aos filhos de Nonna Adélia uma belíssima recordação e destacou: “Um povo que não se preocupa em preservar sua memória perde-se na história e se aniquila. Resgatar e preservar a história é manter viva a nossa essência”.

Filhos da Nonna Adélia – Foto: Assessoria de imprensa

Aplausos aos 11 vereadores que aprovaram a Lei municipal 1.280 de 2018 proposta pelo vereador Renato Lorenici, ele que é legítimo descendente italiano de instituir o dia 06 de setembro como data a se comemorar a Imigração Italiana em Benevente, como fora batizada a cidade na época em que chegaram os primeiros imigrantes da Itália, vindos da Província de Trento no norte do país.

A noite foi linda na Casa de Leis e merecedora de reconhecimento por parte deste veículo que assistiu e transmitiu ao vivo o evento com observações do jornalista Fabiano Peixoto ao desfecho festivo.  

Plenário Litado da Câmara de Anchieta – Foto: Assessoria de imprensa

Nonna Adelia

Nonna Adélia foi moradora da comunidade de Alto Pongal e testemunha ocular do processo de colonização. Faleceu em 2010 com 104 anos. Deixou seu nome ao Grupo de Dança Folclórico Nonna Adélia da mesma comunidade que dedicou sua vida a manter acesa as raízes da sua cultura.

A sessão solene teve a belíssima apresentação do Coral da Escola Tia Marlene Petri Bambini de Pongal sob a regência do maestro Wendel Dalto que cantou belíssimas músicas brasileiras em italiano.

Seguindo a programação da noite festiva italiana, os presentes receberam uma verdadeira aula de história, no túnel do tempo com o Emílio Petri que utilizou fragmentos da sua dissertação de mestrado: “A imigração italiana em Anchieta: ES caracterização e contribuições para o desenvolvimento local”. O mestre fez um panorama histórico sobre a chegada dos imigrantes, suas dificuldades e desafios. Emílio deu uma aula fantástica usando slides demonstrou os detalhes da história do povo que marca a cidade de Anchieta com seus costumes e tradições – legado.

Circuito dos Imigrantes

Foto: Assessoria de imprensa – Sharleni Barcelos Paulini, uma das idealizadoras do Restaurante Dom Bernardo

Para completar a noite, a empreendedora Sharleni Barcelos Paulini, uma das idealizadoras do Restaurante Dom Bernardo, em Pongal ministrou sobre a retomada do Circuito dos Imigrantes. Ela pontuou sobre a importância de valorizar as belezas do interior, fomentando as potencialidades naturais e os aspectos tradicionais da cultura, gastronomia e religiosidade.

Em seguida, o poeta anchietense Marco Antônio Soledade – o Durinho declamou um poema de sua autoria enaltecendo todo o evento, bem como a beleza da cultura italiana.

Para fechar a noite com chave de ouro, o vereador propositor da Lei que embasou a sessão solene, Renato Lorencini emocionou a plateia saudado a todos em italiano. “Falar da Itália é falar, acima de tudo, da nossa própria identidade, no que diz respeito à cultura dos nossos antepassados. Ainda em 2017, durante o gabinete itinerante nas comunidades do Circuito dos Imigrantes, a necessidade de preservar a nossa história ficou ainda mais evidente. A sequência das ações de resgate cultural e o incentivo à preservação das tradições, eram clamadas pela população. Voltei, então, com a missão de contribuir dentro do legislativo para este objetivo”, explicou o proponente da Sessão e da honraria, o vereador Renato Lorencini (PSB).

Loreninci reconheceu que todos que participaram do evento foram imprescindíveis. “Estamos aqui hoje por conta de um sentimento compartilhado por mais de três mil descendentes de italianos que vivem hoje em nosso município.  Este momento ocorre, hoje, graças a um processo coletivo de construção com moradores. Assim como outros projetos: o reconhecimento do circuito dos imigrantes e o dia municipal da imigração italiana, a ser celebrado no dia 6 de setembro de cada ano. Que a história de fé e trabalho dos colonos que aqui chegaram em nossas terras em busca de uma vida melhor nos inspire a trabalhar e querer sempre o melhor para nosso município, assim como sonhado pelos nossos antepassados!”, destacou.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*