Wendel e Warlei foram presos com pássaros e não drogas

Publicado em às 9:09.
Por Da redação

Advogado de Wendel e Warley, detidos ontem no bairro Niterói nega acusação de associação e tráfico

 

A defesa dos acusados Wendel de Almeida Martins e Warley Miranda da Silva, presos na tarde desta quarta-feira, 05 no bairro Niterói em Piúma entrou em contato com a redação e explicou a versão dos acusados de associação para o tráfico e tráfico de drogas.

De acordo com o advogado Bruno e Silva Teixeira, apesar da autuação da prisão em flagrante em desfavor dos acusados acima mencionados, nenhuma prova concreta da autoria delitiva por parte destes foi colhida. “Nesse ínterim, em seu depoimento, o acusado Wendel esclareceu que foi à casa de Warley, por vota das 11hs:00min do dia 05/12/2018, buscar dois pássaros (coleiros) que havia deixado dias atrás, enquanto Warley estava dentro da residência, Wendel ficou na varanda, momento em que pode ver dois indivíduos desconhecidos chegarem em uma motocicleta e permanecerem embaixo da residência de Warley. Nesse passo, Wendel avistou quando um veículo branco se aproximou e de seu interior desembarcaram policiais civis dando voz de prisão aos dois indivíduos desconhecidos, mas antes que a prisão fosse concluída, estes se evadiram, tendo sido efetuados disparos de arma de fogo por parte dos policiais que, mesmo assim, não lograram êxito em capturá-los. Desta feita, referidos policias foram ao encontro de Wendel e Warley, revistaram a residência onde estes estavam, encontrando os pássaros, já descritos acima, em desacordo com determinação legal, uma vez que não possuíam registro, motivo pelo qual os acusados foram detidos por crime ambiental”, explicou Bruno.

A Polícia Civil da Comarca de Piúma, com auxílio da Polícia Civil de Anchieta, continuaram em operação e lograram êxito em prender dois indivíduos, diversos daqueles que empreenderam fuga, com vários quilos de entorpecentes.

Segundo o advogado de Wendel e Warlei, apesar de não ter apreendido qualquer tipo de substância entorpecente com os clientes dele, estes foram autuados por tráfico e associação ao tráfico, “pois são primo e irmão, respectivamente, de Flanster, apontado pelas investigações como chefe do tráfico ilícito de entorpecentes do bairro Niterói em Piúma. Por fim, a defesa dos acusados esclarece que as medidas judiciais para reversão da prisão em flagrante estão sendo tomadas, uma vez que não há, como já dito, qualquer prova da autoria delitiva por parte dos acusados Wendel e Warley”, esclareceu dr. Bruno e Silva.

 

 

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*