Negócio de mãe para filha: conheça a história de empreendedoras que investiram juntas, com o apoio do Bandes

Publicado em às 11:46.
Por Assessoria de Imprensa

Muitas mães e seus filhos têm se unido para realizar o sonho de serem donos de seu próprio negócio. Empreender em família e realizar esse sonho não é incomum, já que a maioria das empresas tem origem familiar, principalmente as mais antigas.

 

Nesta semana do Dia das Mães, o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) homenageia as mamães com histórias que inspiram e mostram que é possível criar novas realidades a partir do crédito.

 

Agregando novos serviços

 

Com quase 30 anos de experiência em salão de beleza, a empreendedora Marilene Pereira resolveu dar um passo a mais em sua profissão: abertura de seu próprio salão. Como sua filha, Raiani, que também já tinha experiência no negócio, a escolha pela sociedade foi natural.

 

Marilene destaca que o salão traz os tradicionais serviços de esmalteria, cabelos, maquiagem, sobrancelhas, depilação, podologia e estética. Mas o espaço aberto em Itararé, Vitória, também trouxe uma novidade. “Também alugamos vestidos de festa para casamentos e formaturas. Assim, oferecemos e desenvolvemos um ambiente aconchegante e acolhedor para proporcionar aos nossos clientes a melhor experiência ao cuidar da beleza, em um conceito de beauty spa”, destaca.

 

A abertura do salão foi com o apoio das linhas de microcrédito do Bandes. O investimento no local ainda está em pauta segundo Raiani. Ela diz que o próximo passo é completar as obras para dar mais conforto a clientela. “O espaço físico já está reservado dentro do salão para podermos fazer a obra, é um passo de cada vez, mas o negócio vai bem”, destaca.

 

Crescendo juntas em Santa Teresa

 

Cleusa Coser e a filha, Graziela Coser Tessarolo, trabalham juntas e demonstram que a tradição e a boa gestão são alicerces para um empreendimento de sucesso. Graziela, que atualmente gerencia o espaço Paloma Boutique, em Santa Teresa, explica que a loja é conhecida na região e a clientela é fiel. “Por ser uma loja de referência, temos um fluxo bom o ano inteiro, mesmo com este momento de crise, as vendas se mantiveram e conseguimos manter o nosso desempenho”, explica Graziela.

 

O banco esteve presente nessa longa trajetória. “Houve uma grande enchente na cidade e o Bandes apareceu aqui oferecendo ajuda financeira para os comerciantes que tiveram algum prejuízo com as chuvas. As condições eram boas e precisávamos reformar o espaço, comprar alguns itens que perdemos”, lembra Graziela.

 

As empreendedoras tiveram acesso ao programa Bandes Emergencial, um financiamento direcionado a empreendedores formais e informais que comprovadamente tiveram prejuízos e danos materiais com as chuvas e cheias, perda de estoque, máquinas, equipamentos ou avarias nas estruturas físicas dos empreendimentos.

 

Empreender em família

 

Independentemente do porte da empresa, empreender em família é muito comum entre os brasileiros. O diretor-presidente do banco capixaba, Aroldo Natal, destaca que o alinhamento de objetivos para a implantação do novo negócio é primordial.

 

“Os negócios familiares são uma sociedade, portanto seus membros precisam compartilhar interesses ou preocupações mútuas sobre o objetivo comum. Ou seja, o plano de negócios da empresa, as atribuições dos membros e as metas devem ser claros para todos, além é claro, saber dividir a vida familiar com as relações comerciais”, esclarece.

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*