Jacqueline Moraes recebe Título de Cidadã Espírito-Santense na ALES e se emociona

Publicado em às 13:56.
Por Da redação

Com o Plenário Dirceu Cardoso lotado e a presença de 22 deputados estaduais, além de autoridades dos outros poderes, a Assembleia Legislativa realizou na noite de segunda-feira (18) uma de suas cerimônias mais prestigiadas e homenageou a vice-governadora, Jacqueline Moraes

Com o Plenário Dirceu Cardoso lotado e a presença de 22 deputados estaduais, além de autoridades dos outros poderes, a Assembleia Legislativa realizou na noite de segunda-feira (18) uma de suas cerimônias mais prestigiadas e homenageou a vice-governadora, Jacqueline Moraes

 

 

A sessão solene para a entrega de Títulos de Cidadão Espírito-Santense e da Comenda da Ordem do Mérito Domingos Martins – a mais alta condecoração da Casa -, homenageou pessoas de vários segmentos que ajudam no desenvolvimento do Estado. Entre os contemplados, estão a vice-governadora, produtores rurais, empresários, industriais, profissionais liberais, acadêmicos, servidores públicos, artistas e ativistas de causas sociais.

A vice-governadora eleita, Jacqueline Moraes recebeu das mãos do deputado Bruno Lamas – PSB, o Título de Cidadã Espírito-Santense por ter marcado a sua trajetória no estado e sendo filha do Rio de Janeiro, acaba de ser eleita primeira mulher para vice-governadora do estado.

Em entrevista ao Espírito Santo Notícias Jacqueline disse estar orgulhosa do Espírito Santo, terra que deu a ela e aos pais oportunidade de trabalho. “Recebi este título com forte emoção, porque ele representa muito pra mim. Representa alguém que já capixaba de coração, de alma, que foi acolhida aos 12 anos por este povo maravilhoso. Foi em terras capixaba que a minha família teve oportunidade de trabalho, dignidade, de vida. Quando viemos para cá, nós viemos fugindo realmente da pobreza que estava imperando na Baixada Fluminense, no RJ onde eu nasci, em Duque de Caxias. Meu pai era vendedor ambulante junto com a minha mãe, trouxeram eu, minha irmã e meu irmão que também ajudamos eles a trabalhar. Chegamos aqui em um momento muito próspero, em 1986”.

Contou Jacqueline que até conseguirem comprar a casa onde a mãe reside até hoje moraram muitos anos de aluguel. “Moramos muito tempo de aluguel, mas aqui conseguimos conquistar a casa própria, depois de 10 anos viemos para Cariacica onde conseguimos comprar um imóvel e se livrar do aluguel, onde minha mãe mora até hoje, no bairro Flexal II. Aqui tivemos a oportunidade de estudar e crescer, agora eu tive a oportunidade de receber o Título de Cidadã Espírito-Santense, oficializa todo o carinho que eu tenho pelas terras capixabas. Uma terra e o povo capixaba que me deu tantas oportunidades na vida, inclusive de ser a primeira mulher negra a ser consagrada como vice-governadora neste estado, é uma honra para minha família que está no Rio de Janeiro”, salientou Jacqueline.

Jacqueline que tem uma família grande ainda no Rio frisou que é uma honra para ela ser consagrada cidadã Espírito-Santense, uma terra que ela já tem no coração. “O Espírito Santo virou a minha terra natal de coração já há muitos anos, por causa das oportunidades que nós tivemos nesta terra. Receber este título neste momento é realizar aquilo que já estava no coração. Eu agradeço ao deputado Bruno Lamas que teve esta sensibilidade. Recebi este título juntamente com a Márcia Lamas, com a minha mãe, Vera Lúcia, com meu esposo, Adilson Avelina e minha família toda assistindo de casa. Foi uma emoção muito grande, na hora que eu peguei o título me deu uma vontade chorar, passou um filme de quando estávamos chegando aqui, quase sem nenhuma oportunidade, mas com muita esperança de ter uma vida melhor. Hoje estou muito honrada com este título e agradeço de coração”.

Quarta, 19 Jacqueline recebeu a diplomação de vice-governadora do Estado do Espírito Santo.

História simples

Jacqueline vem de uma história simples, de cor negra, natural da cidade de Duque de Caxias – RJ, veio para o Espírito Santo em 1986 e, em sua trajetória de vida, ocupou o cargo de presidente da Associação de Moradores do Bairro Operário por dois mandatos e também esteve à frente da Associação de Vendedores Autônomos do Estado do Espírito Santo por um mandato. Candidatou-se ao cargo de vereadora em 2012 na cidade de Cariacica-ES. Sua candidatura foi em uma coligação isolada. Sua atividade de trabalho até em tão era de vendedora pracista, representante comercial, caixeiro-viajante. Jacqueline buscou amparo técnico em sua graduação, no curso de Direito, casada, foi eleita com 2.562 votos. Logo ocupou a 1ª Vice-presidência da Mesa Diretora da Câmara, cujo papel é gerenciar os trabalhos legislativos e cuidar da gestão administrativa da Casa de Leis. A vereadora ficou conhecida na cidade por seu trabalho itinerante, denominado “Jack Móvel”, que percorreu as comunidades e acolheu as demandas de melhorias indicadas pelos moradores dos bairros visitados por ela e sua assessoria.

Poderia o PSB de Casagrande ter indicado tantas outras mulheres Estado afora, como fortes candidatas a vaga de vice-governadora, na qual, tem fortes nomes e toda a família concentram-se na política do Estado e do Brasil, mas isso não aconteceu. A indicação de fato, se deu à Jacqueline Moraes.

O Espírito Santo assiste um caso inédito, uma mulher negra, de uma história simples, e muito rica em ações voltadas as demandas da população, que pode, durante sua trajetória, igualar a D. Luiza Grimaldi (esposa do Donatário Vasco Fernandes Coutinho Filho) que governou o Estado em 1589 a 1593.

Jacqueline Moraes e o PSB de Casagrande, com certeza abrem um novo capítulo da história política capixaba.

 

 

 

 

Homenageados

Fonte Assembleia Legislativa/ Fotos/ ASL

Um dos mais novos cidadãos espírito-santenses é o mineiro Jorge da Silva Netto, produtor e exportador de pimenta-do-reino, que atua no município de Jaguaré, na Região Norte.
Ele veio para o Espírito Santo há mais de 30 anos, e passou por várias empresas, entre elas a então Aracruz Celulose, antes de se tornar produtor rural.
“Minha família tem raiz na roça e sempre fui ligado ao campo. O Espírito Santo me deu oportunidade de investir em negócios no meio rural e sou muito feliz com a vida que tenho aqui no Estado”, declarou.
Também homenageado, o paulistano Carlos Casasco se diz totalmente integrado ao Espírito Santo, onde chegou há mais de duas décadas.Ele iniciou suas atividades no Estado como vendedor de sucata e hoje é dono de empresa no segmento de perfilados de alumínio, que emprega 400 colaboradores.
Casasco recebeu a Comenda Domingos Martins no grau de comendador. “Estou muito feliz no Espírito Santo; esse Estado oferece muitas oportunidades para quem tem ideias novas e disposição para o trabalho”.
O suplente de senador Sérgio de Castro recebeu o Título de Cidadão Espírito-Santense. Ele nasceu em Muriaé (MG) e veio para o Espírito Santo há 29 anos.
Em discurso, ao falar em nome dos homenageados, Castro destacou aspectos capixabas que tornam o Estado atração para os que aqui chegam e não voltam mais a morar no Estado de origem.
Sérgio disse que, como bom mineiro, veio para o Espírito Santo em busca do litoral e de suas praias. Mas acabou percebendo que o Estado é mais do que isso.
“Temos uma região serrana fantástica, uma arquitetura marcante, nosso Convento da Penha, boa música e ótima gastronomia. Decidi ficar de vez por aqui. Meus filhos também não nasceram aqui, mas não querem sair do Espírito Santo de jeito nenhum”, afirmou.
Ao todo, 73 pessoas receberam o título e 20 foram agraciados com a principal honraria da Casa. A concessão da Comenda Domingos Martins tem cinco graus – Grã-Cruz, Grande Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro – estipulados a partir da Resolução 1.390/1984.
O deputado Padre Honório (PT), ao falar em nome dos colegas do Parlamento, explicou que cada parlamentar tem direito a indicar um nome para receber a comenda e três pessoas para o Título de Cidadania.
Isso demonstra, afirmou, o quanto os homenageados são “especiais”, pois muita gente gostaria de estar na lista.
“Os senhores e as senhoras foram escolhidos porque fazem coisas boas; porque exercem suas atividades com espírito de cidadania e responsabilidade”, afirmou.
Padre Honório acrescentou que o Parlamento se engrandece também na medida em que rende homenagens a personalidades que ajudam a construir a história do Estado.
O presidente da Casa, deputado Erick Musso (PRB), agradeceu a todos pela presença. “É motivo de orgulho para todo o nosso Parlamento a presença de todos os senhores e senhoras nessa cerimônia tão especial”.

 

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*