UMA VIDA POR R$1.500, assassinos receberam para matar Thamires, em Vargem Alta

A matéria foi escrita pelo jornalista Tiago Rocha que reside em Vargem Alta, ele que é editor chefe do Portal DoaHoraES

Os desdobramentos do assassinato da jovem Thamires Lorençoni Mendes, de 26 anos, a cada dia tem uma novidade. A de agora, é o valor pago por Sulamita Almeida, a Sula, madrasta do marido de Thamires, Gedson Thomazini, que em depoimento ao delegado Rafael Amaral, confessou ter pago a quantia de R$ 1.500,00 aos pistoleiros que executaram a jovem.

Conforme o advogado José Carlos Silva, responsável pela defesa de Sula e sua filha Flávia, de 18 anos, os executores foram contratados para darem um susto em Thamires, mas a encomenda saiu do controle e a mulher de seu enteado acabou sendo assassinada com três tiros. Os pistoleiros ainda estão foragidos e mãe e filha presas no Centro de Detenção Feminina de Cachoeiro de Itapemirim.

O delegado colheu o depoimento na tarde de quinta-feira (12) na delegacia da Polícia Civil de Rio Novo do Sul, driblando assim, muitos repórteres que aguardavam o depoimento das mandantes do assassinato do lado de fora da Delegacia de Vargem Alta.

O advogado de Sula e Flávia confirmou para a imprensa o suposto caso amoroso entre Gedson e a sua irmã de criação, Flávia, e que isso teve início quando ela tinha apenas 13 anos.

A reportagem do Dahoraes.com tentou entrar em contato com Gedson Thomazini, para ele esclarecer os fatos divulgados, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria. Segundo uma pessoa próxima a Gedson, que preferiu não se identificar, ele foi aconselhado pelo delegado Rafael Amaral a não conceder entrevistas sobre o crime.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*