Sensação do violino, Ricardo Herz é a nova atração da série de concertos do Programa Vale Música

Músico se apresenta com a Camerata Jovem Vale Música no dia 25 de outubro, no Teatro da Ufes

Teatro do Sesi, Rio de Janeiro, 20/08/2015. Foto: Rogério von Krüger

Frequentemente associado à música clássica e a orquestras sinfônicas, o violino é um instrumento de possibilidades ilimitadas que vem ganhando cada vez mais espaço em diferentes expressões musicais. Um dos responsáveis pela popularização do instrumento no Brasil nos últimos anos chama-se Ricardo Herz. Considerado o reinventor do violino brasileiro, o músico paulista é a atração do concerto Camerata Jovem Vale Música convida Ricardo Herz, dia 25 de outubro, às 20h, no Teatro da Ufes. A apresentação integra o calendário de concertos do Programa Vale Música neste segundo semestre, sempre com entrada franca. Os eventos têm patrocínio da Vale e do Ministério da Cidadania, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O espetáculo Camerata Jovem Vale Música convida Ricardo Herz terá a participação especial do percussionista Pedro Ito. Todos os arranjos foram elaborados por Ricardo Herz especialmente para o concerto. O repertório preparado pelo violinista vai mesclar composições próprias, gravadas nos discos “Aqui é o meu Lá”, “Ricardo Herz para Crianças” e ”Nova Música Brasileira para Cordas”, com arranjos de sua autoria para temas do folclore infantil brasileiro. “Essas músicas do folclore infantil qualquer brasileiro, criança ou adulto, conhece. Isso mostra para todos como os instrumentos de cordas podem ser usados para diversas cores e humores. É

um show para todas as idades, cheio de sensibilidade por um lado e muito vibrante por outro”, adianta o violinista.

Fundada em 2018 pelo professor e maestro Lucas Anizio, a Camerata Jovem Vale Música é formada por Lucas Anízio (violino 1 – spalla), Flávio Ribeiro (violino 1), Jaqueline Lima (violino 1), Deivid Magalhães (violino 2), Samuel Cabidelle (violino 2), Emily Cristina (violino 2), Victor da Dalton (viola), Ângelo Dos Santos (viola), Joyce Rodrigues (violoncelo), Felipe Fleger (violoncelo) e Leonardo Rodrigues (contrabaixo acústico).

O grupo é um dos frutos do Projeto Vale Música Serra, que promove a educação musical para 200 alunos de 7 a 23 anos, na Estação Conhecimento de Serra, em Cidade Continental, e para 80 alunos atendidos no núcleo no Parque Botânico Vale, em Vitória. Entre suas principais apresentações estão a participação no Festival Inverno de Domingos Martins, o Festival de Música Erudita do Espírito Santo, o Vagão Cultural e os Concertos Didáticos em escolas da rede municipal pública do Estado e no Museu Vale, entre outros eventos.

Virtuose do violino

Graduado em violino erudito pela USP, Ricardo Herz iniciou sua formação musical aos 6 anos, tendo passado pela escola Fukuda, em São Paulo, e aperfeiçoado seu conhecimento em escolas renomadas como a Berklee College of Music, nos Estados Unidos, e o Centre des Musiques Didier Lockwood, na França. Sobre a musicalidade de Ricardo Herz, o violinista francês Didier Lockwood, uma lenda do jazz, declarou: “A música brasileira, sua especialidade, está aqui magnificamente representada com originalidade graças a seu grande talento de violinista”.

 Com influência de Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti e Jacob do Bandolim, ganhou fama internacional pela técnica refinada com a qual mistura ritmos brasileiros, africanos e o sentido de improvisação do jazz.

De volta ao Brasil desde 2010, Herz tem participado de projetos com diversos músicos, como Yamandú Costa, Dominguinhos, Nelson Ayres e Proveta, além de atuar como solista em orquestras de todo o país, incluindo a Orquestra Jazz Sinfônica, Orquestra Sinfônica de João Pessoa, Orquestra Municipal de Jundiaí, Grupos de Referência do Projeto Guri, Orquestra Filarmônica de Violas e Orquestra Breusil.

Gravou dois álbuns com o Ricardo Herz Trio  e CDs em duo com o vibrafonista Antonio Loureiro, o acordeonista Samuca do Acordeon, o pianista, maestro e arranjador Nelson Ayres e o violonista Yamandú Costa. Em 2019, lança seu décimo trabalho: “Nova Música Brasileira para Cordas”, com a orquestra feminina de cordas cubana Camerata Romeu.

Na área pedagógica, o músico mantém o aspecto inovador de sua carreira com o lançamento do primeiro método online de violino popular brasileiro, disponível no site oficial www.ricardoherz.com.br.

  • Três perguntas para Ricardo Herz:

1. Qual a sua expectativa para a apresentação com a Camerata Jovem Vale Música em Vitória?
Acho que vai ser muito legal! Adoro tocar com estudantes. É um pessoal muito empolgado com novidades e música popular, geralmente.

2. Você conhece o Programa Vale Música? De que forma a educação musical pode transformar a vida de crianças e jovens que participam do programa?
Conheci o Vale Música na outra vez que fui a Vitória, para tocar no Festival de Blues e Jazz Manguinhos. A música é sempre bem-vinda na vida de todas as pessoas, elas virando profissionais posteriormente ou não. Conhecendo música, o jovem tem contato com a sensibilidade da arte, com o trabalho em equipe, com o respeito pelo conhecimento, com a disciplina, com a brincadeira. Eu acredito que a música muda para melhor a vida das pessoas.

3. Você é considerado um reinventor do violino brasileiro. De que forma esse instrumento consagrado nas orquestras sinfônicas pode ser utilizado com destaque na música popular brasileira?
Meu desafio como violonista na música popular brasileira sempre foi o de tocar uma música realmente autêntica. Neste caminho tive que adaptar algumas técnicas, imitar outros instrumentos como o bandolim, a sanfona, a rabeca (que é o nosso violino). Hoje em dia posso dizer que criei uma maneira própria de tocar, mas estou sempre aprendendo e tentando fazer minha arte não como um violinista, mas como um músico que toca violino. É uma busca eterna. Mas isso é que é bom!Parte superior do formulário

  • Repertório:

Composições de Ricardo Herz
1. Inocente
2. Upa
3. Chamaoque
4. Mourinho
5. 7 anões
6. Saci
7. Toada de ontem pra amanhã

Cantigas Populares
8. Boi da cara preta
9. O cravo
10. O sapo
11. Fui no tororó
12. Marcha soldado
13. Odeon (Ernesto Nazareth)*

*A original é para piano solo; Ricardo fez uma versão pra violino.

Todos os arranjos são de Ricardo Herz .

  • Programe-se:

Concerto: Camerata Jovem Vale Música convida Ricardo Herz

Participação especial: Pedro Ito 

Data: 25 de outubro 

Horário: 20h

Local: Teatro da Ufes

Avenida Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras, Vitória.

Entrada franca – Retirada de um ingresso por pessoa na bilheteria do Teatro, no dia do evento, a partir das 19h.

Patrocínio: Vale e Ministério da Cidadania, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Apoio: Prefeitura Municipal de Serra e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da Serra.

  • Saiba mais sobre o VALE MÚSICA

O Vale Música Serra é patrocinado pela Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cidadania, e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Serra. O programa privilegia a linguagem universal da música e seus reflexos tanto no desenvolvimento humano e social, quanto na geração de trabalho e incremento de renda. Existe uma conexão natural entre

a música e a educação. No Vale Música Serra busca-se promover essa relação

através do fomento ao ensino musical, valorizando as características culturais locais e abrindo caminho para a formação de grupos musicais, corais, bandas e/ou orquestras.

A música também é uma linguagem ligada ao mundo dos negócios, que historicamente vem gerando oportunidades de trabalho e acesso a renda em todo o mundo, independentemente de geografia ou história. O entendimento da cadeia produtiva da música e o incentivo ao seu uso, de forma cada vez mais produtiva, também é objetivo do Vale Música.

Atualmente, o projeto patrocinado pela Vale atende 200 alunos de 07 a 23 anos, na Estação Conhecimento Serra, em Cidade Continental, e a 80 alunos no Núcleo do Vale Música, no Parque Botânico Vale, em Vitória.

O projeto conta com diversos grupos artísticos, como a Orquestra Jovem Vale Música, a Camerata Jovem Vale Música, o grupo Vale Música Jazz Band, a Banda Sinfônica Vale Música, o Coral Infantil Vale Música e o Coral Jovem Vale Música, que se apresentam em eventos na Grande Vitória e demais regiões do país.

Com uma trajetória de sucesso, constam em seu registro histórias de participantes que se tornaram músicos populares, educadores e concertistas, e

que romperam as fronteiras internacionais, registrando trabalhos nos EUA, Europa e Japão.

Em julho de 2019, a Vale Música Jazz Band ampliou seus horizontes com uma apresentação no tradicional Festival de Inverno de Ouro Preto (MG), juntamente com a Orquestra Ouro Preto, onde executou um programa musical

que reuniu números do jazz ao baião. Em setembro deste ano, a Vale Música Jazz Band apresentou-se pela primeira vez no I Love Jazz, um dos mais tradicionais festivais de jazz do país, em Belo Horizonte, juntamente com a cantora norte-americana Alma Thomas.

O intercâmbio fez parte do conjunto de ações do Programa Música, iniciativa da Vale que prevê a integração de projetos patrocinados pela empresa, como a Orquestra Ouro Preto (MG) e o Vale Música Serra (ES), além do Vale Música Belém (PA), Instituto Moinho Cultural (MS) e a Orquestra Sinfônica Brasileira (RJ).

  • Contatos

Assessoria de Imprensa Vale

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*