Sejus reforça revistas nos presídios com aquisição de scanners corporais

A Secretaria da Justiça (Sejus) adquiriu 12 scanners corporais para reforçar a segurança e a eficiência nas revistas de visitantes no sistema prisional do Estado. Para isso, estão sendo investidos cerca de R$ 1 milhão na aquisição e instalação dos equipamentos, com previsão de 100% do funcionamento no próximo mês de agosto. A Sejus também recebeu sete aparelhos doados pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), que beneficiam oito unidades prisionais do Estado.

O scanner corporal é produzido com tecnologia de ponta e baixa dose de raio X, capaz de prover altíssimo nível de segurança em conformidade com as exigências para prisões, aeroportos, recintos de fronteira e instalações governamentais. Ele possibilita o escaneamento do corpo inteiro, incluindo a sola dos pés, o que significa detectar diferentes objetos, mesmo que introduzidos ao corpo, tais como drogas, fios metálicos, explosivos, entre outros materiais. A ferramenta também auxilia no controle biométrico, fazendo interface com o banco de dados de visitantes da Sejus.

Os aparelhos já estão em funcionamento na Penitenciária Estadual de Vila Velha 3, no complexo de Xuri, e na Penitenciária de Segurança Máxima 1, em Viana. Até o final de agosto, as instalações, realizadas pela Diretoria de Engenharia e Arquitetura da Sejus, estarão concluídas na portaria do complexo de Viana, no Centro de Detenção e Ressocialização de Linhares, Penitenciária Estadual de Vila Velha 2, Penitenciária Estadual de Vila Velha 5, Penitenciária de Segurança Máxima 2, Casa de Custódia de Vila Velha, Penitenciária de Segurança Média 2, Penitenciária Regional de São Mateus,  Penitenciária Regional de Cachoeiro de Itapemirim e Penitenciária de Segurança Média de Colatina.

O subsecretário de Estado para Assuntos do Sistema Penal, Alessandro Ferreira de Souza, destaca que os novos equipamentos vão proporcionar mais qualidade para os procedimentos de revista. “A aquisição e operação dos scanners corporais irão somar esforços no controle de entrada de pessoas no sistema prisional. É um mecanismo que irá contribuir para mais qualidade no procedimento de revista de quem adentra as unidades. Consequentemente, a operação trará mais segurança para todo o sistema”, disse.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*