Pula da canoa o secretário de Saúde de Piúma Alexandre Marconi, exonera-se

O secretário Municipal de Saúde de Piúma, Alexandre Marconi pediu exoneração do seu cargo na tarde desta quarta-feira 5, após decidir tocar o seu negócio e a sua vida particular e não suportar mais as pressões que estava sofrendo.

Com exclusividade, o jornal Espírito Santo Notícias conversou rapidamente com o secretário que afirmou que estava adoecendo e prejudicando sua saúde mental, além de ficar longe da sua farmácia de manipulação que ele e os irmãos montaram em Piúma e necessitava de sua presença.

Para Alexandre, não adianta simplesmente querer fazer algo não conseguir, porque nem sempre o time joga na mesma posição. A quem prefira, o quanto pior melhor.

Disposição.

Alexandre Marconi entrou para Secretaria de Saúde cheio de entusiasmo, tecnicamente preparado e disposto a trabalhar para melhorar a saúde das pessoas de Piúma, idealizando projetos de alcance da massa, como o pano vermelho na casa dos idosos para a vacinação contra a gripe, a triagem no Hospital e a modernização do Pronto Socorro: instalação de ar condicionados, o funcionamento do setor de Raio-x, as cadeiras de soroterapia, a criação da área específica para o tratamento da Covid-19 com quatro respiradores e muitas outras benfeitorias.

O que poucas pessoas sabem é que Alexandre conseguiu com a sua equipe recuperar vários convênios que o município havia perdido, conseguiu também identificar e resolver problemas de logística como por exemplo: no hospital faltava scalp para punção venosa e na farmácia básica havia aos montes.

O secretário afirmou que encontrou muitas barreiras e acabou desistindo na tarde desta quarta-feira de continuar à frente da pasta que, mais do que nunca, precisa cuidar das pessoas, em especial, no momento difícil de dor e de pandemia do Covid-19, em que a cidade em encontra em situação de alto risco de contaminação pelo novo coronavírus. Momento que exige conhecimento, habilidade, técnica e dinâmica para o enfrentamento da doença que tem matado milhares de pessoas no planeta.

Vale lembrar que, neste pouco tempo Marconi mostrou trabalho, chegou a receber centenas de elogios na Câmara de Vereadores e nas redes sociais, logo depois que os resultados começaram a surgir, passou a ficar na mira de ataques e mais ataques, como se estivesse posicionado na frente de um fuzil municiado a derruba-lo a qualquer custo. A partir de então, não teve mais paz e sob pressão total, entregou o cargo aos “abutres” que devem estar comemorando neste momento.

Alexandre faz uma comparação metafórica com o trabalho na Secretaria, era como se ele estivesse remando sozinho para uma direção com barco cheio e alguns tripulantes navegando na direção contrária. Dificilmente se chegaria ao cais seguro.        

Festas

É certo que Alexandre Marconi acabou se envolvendo em alguns dissabores enquanto esteve secretário. Talvez por conta da sua pouca idade, como por exemplo, a festa surpresa do seu aniversário no Hotel Monte Aghá, onde era convidado de honra e acabou viralizando nas redes sociais, como se ele mesmo estivesse promovendo aglomeração, indo na contramão das próprias orientações, e das autoridades mundiais de saúde, em tempos de pandemia de coronavírus.

Quem não se lembra da última social no quintal da casa do Secretário com direito a telão, cerveja, picanha, caranguejo e muitos storys no Instagram, que acabou provocando os nobres edis, que o acusaram de fazer orgias em sua propriedade privada.

Por conta de sua ingenuidade e falta de maturidade virou manchete e ganhou dois artigos de opinião neste site: “Alexandre Marconi, vá e não peque mais” e ‘Alexandre Marconi, ou você entrega o cargo ou sossega o facho”.

Desce da canoa da administração Martha Scherrer, o segundo secretário esta semana, e nos bastidores, comenta-se que tem mais para mergulhar nas águas livres e calmas da Cidades das Conchas.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*