PSL de Piúma faz convenção municipal e lota Maraghá

O Partido Social Liberal – PSL em Piúma se reuniu na noite desta sexta-feira, no Espaço Maraghá, na Praia da Maria Neném, em Piúma e lotou a Casa de filiados e simpatizantes na Conferência Municipal. Trazendo como pano de fundo, Muda Piúma, o presidente da sigla, o empresário Juninho Taylor se emocionou diversas vezes ao se lembrar das conquistas da cidade há 30 anos e atualmente abandonada, segundo ele.

O vice-presidente, o empresário Adelson Camilo ressaltou que este é o momento de se pensar em uma cidade melhor para todos viverem, exaltou as belezas, o povo trabalhador e os potenciais do município de Piúma.

O presidente do Podemos, o bancário aposentado Adalberto Araújo foi enfático, disse que Piúma precisa caminhar e sair da mesmice, relembrou a verba perdida de mais de R$2 milhões, que já estava na Caixa Econômica há mais de oito anos para construção do maior centro de educação infantil cujo terreno já comprado no bairro Lago Azul. Adalberto falou do abandono das praças, da falta de incentivo ao esporte e da saúde precária. “Em 2011 foi depositado mais de R$2 milhões para construção de uma creche e Piúma perdeu. Por que não aconteceu, porque faltou amor pela cidade, porque você deixar de construir uma creche para 350 crianças e o deixar o dinheiro que já estava em caixa ser devolvido é doído demais. Nestes 30 anos que estou em Piúma o hospital é o mesmo e piorou. Quando eu vim para cá as crianças nasciam aqui, hoje ou nasce em Itapemirim ou nasce em Anchieta, em Piúma não nasceu mais ninguém, só se for de parto normal ou acontecer o acidente”, disse Adalberto.

Marcou presença também na Convenção Municipal do PSL, Yuri Lucas, assessor parlamentar e representando o pai, o deputado Tourino Marcos – PSL.

Outras lideranças do partido marcaram presença, como a presidente do PSL Mulher Piúma, Alessandra Zouian e o presidente do PSL Jovem e Amarildo representando a Direita Marataízes. Os pais do empresário Juninho também estiveram lá para fortalecer o encontro.

No discurso de Juninho ele explicou porque se filiou ao PSL. “Quando eu resolvi entrar para o PSL eu analisei. O PSL é um partido grande, é hoje o maior partido do Brasil, o PSL tema maior bancada de deputados federais, o PSL hoje tem o presidente da República e o PSL tem condições de tirar Piúma da lama. Piúma está há 30 anos andando para trás.  Eu coloquei um quadro na entrada de quando eu fui vereador há 23 anos, na época o salário era R$840.00 e eu tirava todo o dinheiro do meu bolso para pagar uma ambulância para servir ao povo, eu tirava o dinheiro que recebia na Câmara para pagar a ambulância para não faltar no hospital. Naquela época há 23 anos, Piúma não tinha ambulância. Tinha um hospital construído há 39 anos pelo Hélio Marvila, o hospital que até hoje, a única reforma que fizeram foi pintar parede e trocar o teto que era de gesso e estava mofado. Gastaram milhões e milhões, o hospital que tinha um centro cirúrgico e tinha uma maternidade, hoje mal faz curativo e as pessoas estão morrendo no corredor dos hospitais da Grande Vitória porque Piúma não cuida mais da saúde dos seus doentes, aquela pessoa que quebra uma perna ou um braço, sabe o que acontece? Vai mofar no hospital da Grande Vitória porque Piúma é uma cidade que tinha tudo, hoje não tem nada. Nossas praças estão abandonadas, as ruas sujas, as escolas estão destruídas, paredes rachando, a cidade que há 30 anos não tinha nada, tinha tudo e há 30 anos anda para trás. Hoje é difícil termos um filho e termos segurança. As escolas não têm uma lousa digital, não tem um tablete, essa é a escola que eu quero para meus filhos. Quando eu resolvi entrar no PSL, eu não queria mais a política, eu larguei a política há 23 anos. Mas eu sou morador de Piúma, como vocês, eu amo esta cidade e nós estamos cansados da mesma picuinha, entra um e entra outro e Piúma continua no buraco, a orla está sendo destruída. É uma covardia o que fazem com Piúma”, afirmou Juninho.

Dando seguimento ao discurso emocionado de Juninho, ele assegurou que entram no caixa da Prefeitura R$ 7 milhões mensais e há uma máfia que rouba esse dinheiro. “Rouba como Juninho? São contratos com locações, tudo na prefeitura é locado. Carro, eletrocardiograma, impressora, hoje a prefeitura que tinha carro, tinha vans e tinha ônibus, ambulância não tem mais nada porque tudo é locado, é dinheiro que sai de vocês”, disse Taylor.

Concluindo o discurso o pre-candidato a prefeito, Juninho Taylor disse que voltou para a política porque acredita que é possível mudar os rumos da cidade e fazer com que o município desenvolva e seja melhor cuidado. Após a convenção foi servido um coquetel aos presentes que aplaudiram o discurso de Juninho várias vezes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*