Projeto Pé de Livros inicia ações rumo à Bienal Rubem Braga 2020

Um grupo de 52 alunos Sesi participou de contação de histórias com Maria Elvira Tavares

Sob a mangueira do quintal da Casa da Memória, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Semcult) deu início, na quinta-feira (22), às atividades do projeto itinerante Pé de Livros, de mobilização para a oitava edição da Bienal Rubem Braga, em 2020.

Um grupo de 52 alunos do ensino fundamental I do Sesi de Cachoeiro participou de contação de histórias mediada por Maria Elvira Tavares, que abordou temas relacionados às tradições populares, visto que a atividade foi alusiva ao Dia do Folclore (22 de agosto).

“Temos todo o carinho com o Pé de Livros, por se tratar de um projeto que envolve não só Cachoeiro, tanto dentro da cidade, como no interior, mas as cidades vizinhas, e com um foco muito especial: mobilizar crianças e jovens para a Bienal. Sendo assim, consideramos essa iniciativa de maior relevância para formação de público para esse grande evento literário e, também, para o incentivo à imersão no universo da leitura”, explicou a secretária municipal de Cultura e Turismo, Fernanda Martins.

Com contação de histórias e outras ações que estimulam o contato com os livros, o Pé de Livros será realizado, até o ano que vem, todas as quintas-feiras, a partir de cronograma definido pela Semcult. A próxima atividade do projeto acontecerá em 29 de agosto, na pracinha do distrito de Conduru, das 14h às 16h, e envolverá alunos da escola municipal Dolores Gonzalez Villa.

Capoeira 

Ainda na Casa da Memória, na mesma tarde, o Dia do Folclore foi celebrado com uma roda de capoeira comandada pelo mestre Paulinho Monteiro (reconhecido pela Lei Mestre João Inácio como patrimônio vivo do município), da Associação Cultural Educacional de Capoeira Filhos da Princesa do Sul, que interagiu com o grupo de alunos do Sesi.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*