PIÚMA: rua esburacada dificulta remoção de portadora de necessidades especiais e acamada em estado grave

A rua dá acesso ao Conjunto Habitacional do bairro Lago Azul, em Piúma, o secretário de Obras foi procurado há duas semanas para resolver o problema, mas não atendeu a cidadã

A portadora de necessidades especiais Valdete Maria Cordeiro de Farias, 53 anos, acamada, reside à Rua A, casa 27, do Conjunto Habitacional, no bairro Lago Azul, em Piúma. Mais uma vez ela passou por uma situação complicada nesta segunda-feira, 02. Valdete passou muito mal e precisou ser retirada de sua casa às pressas, mas para a maca chegar até lá foi preciso mais do que um esforço hercúleo, pois a rua está em péssimas condições. Crateras, barranco despencando, valetas que engolem os pneus. E quando chove, fica pior ainda. A ambulância teve dificuldades em chegar perto da residência.

Convém ressaltar que na semana passada, Carmem Santos, cuidadora de Valdete entrou em contato com a redação pedindo ajuda. Naquele momento, Carmem disse que já havia solicitado a Prefeitura que ajeitassem a rua, pois no endereço reside uma senhora com deficiência e acamada, que precisa ser removida constantemente para o Hospital.

Bom dia Luciana Máximo, entendo que você tenha muitas coisas importantes para resolver, matérias para serem escritas, mas, como esta é a única jornalista que fala e mostra a realidade, estou passando estas fotos pra você, aqui é a situação da saída da minha casa já pedi providências e até agora nada, pois a prioridade é a orla da praia. Luciana, ontem eu caí aqui, pois o barranco está todo cedendo, já não estou podendo nem sair de casa, eles não fazem nada, ontem de novo, o carro da compra quase caiu no meu quintal, peço, se a prefeitura puder fazer uma escada no canto do muro, pois não tenho condições de fazer está muito perigoso, desculpa incomodar”, solicitou Carmem.  

Tão logo Carmem fez o pedido à Luciana, a jornalista ligou para o chefe de gabinete, Mateus Mota falando do problema. Mateus se comprometeu em ir pessoalmente, e o foi, fotografou tudo e averiguou que a situação da rua merece cuidados urgentes. Luciana também pediu ao secretário de Obras, André Layber que enviasse uma equipe ao local e resolvesse o problema, pois, se chovesse, seria impossível chegar carro até a casa de Valdete. Mesmo sem chuva, nem ambulância chega por conta das valetas.

O secretário de Obras logo que viu a mensagem da jornalista respondeu dizendo que iria resolver a situação. Mas, até esta segunda-feira, o problema permanece o mesmo.

“Valdete está internada no Hospital Nossa Senhora da Conceição, ela recebe auxílio doença, não é aposentada. Recebo algumas doações, pois os medicamentos nem sempre têm na Farmácia Básica, é paciente de risco, faz uso de Ensure, um complemento alimentar devido a doença generalizada, passa mal de repente e depende do socorro da ambulância que passa por graves dificuldades de acesso até minha casa para buscar’, explicou Carmem Santos.

Fica o registro para que a Prefeitura de Piúma envie uma equipe ao local para sanar o problema.  

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*