Pague os profissionais da saúde e briguem nas urnas depois

Neste dia 20 em que se comemora o dia do técnico em enfermagem desejamos saúde e mais respeito a categoria por parte das gestões, são eles que estão com a cara na reta

Pra variar o ringue está a postos desde o instante em que marcaram a luta, mas um duelo desigual, onde quem não tem nada a ver com o troféu que buscam, a qualquer maneira, está sofrendo com a politicagem: Legislativo X Executivo = saúde à deriva.

O preço é alto, atrasar o pagamento dos prestadores de serviço da saúde a briguinhas políticas pode ser um tiro na cabeça do dedo do pé, ou seja, o repasse do Consórcio.

Tenho recebido diversas reclamações de profissionais da saúde que atuam no Hospital Nossa Senhora da Conceição em Piúma de que estão sem receber desde março. É claro que eu fui atrás para entender o que está acontecendo.

Vejam senhores. Todo ano é assim, aprova-se na Câmara o recurso para o exercício do próximo ano do Executivo, e assim foi o Consórcio, aprovado R$3.100 milhões para o exercício de 2020.

Hum, mas na Cidade das Conchas uma peculiaridade a parte. É, a cada vez que a Saúde precisar de um montante para pagar as empresas e por conseguinte os profissionais deve pedir a Casa de Leis que se reúna em sessão extraordinária e aprove o que já autorizaram no ano anterior. Vai vendo.

Mas, se de repente, os nobres senhores vereadores decidirem que não vão autorizar o que a Saúde precisa e fizerem uma emenda, tudo bem, e se o caixa da saúde não for suficiente para pagar todos naquele mês que buscou o repasse, danem-se senhores técnicos de enfermagem, danem-se senhores enfermeiros, danem-se radiologistas, socorristas, danem-se médicos!

Mas senhores, são R$3.100 milhões e a saúde suspendeu os atendimentos com as especialidades e ainda tem o decreto da emergência e a farra do Covid 19. Nossa, o secretário e a prefeita estão lavando, roubando com força; não aprovem o repasse do Consórcio que eles vão fazer mais farra…É isso mesmo?   

Virou um jogo de empurra-empurra. Secretaria de Saúde diz que faz o dever de casa e segue a lei, a Câmara bate sem dó e o Consórcio diz que não é dele a responsabilidade pelo atraso no pagamento das empresas que contratam os funcionários. Tenso!   

São profissionais de ponta que não merecem este desrespeito, principalmente neste momento em que o tal do coronavírus resolveu atacar geral. Hoje mais uma família, cinco pessoas foram positivadas. Alguém tem que cuidar deles!

É fato, em março apenas os médicos receberam o pagamento e parte dos outros profissionais, lembrando que, atualmente no Hospital são 12 técnicos em enfermagem, 10 enfermeiros, 10 médicos e 5 profissionais na radiologia prestam serviços através do CIM Expandida Sul.

Vale lembrar que o orçamento previsto e aprovado pela Câmara de Vereadores para o exercício de 2020 foi autorizado em dezembro de 2019, porém, a Casa de leis acoplou a lei na época, o artigo 12 que acaba controlando os gastos, ou seja, a cada vez que a secretaria solicita parte do repasse já aprovado e autorizado, este mesmo deve voltar à Câmara para outra aprovação e a autorização dos nobres edis só é realizada após uma prestação de contas que deve ser submetida ao Conselho de Saúde.

Resumindo, em tempos de pandemia, Conselho não tem se reunido, Câmara suspendeu sessão por conta das suspeitas de alguns nobres vereadores terem contraído o coronavírus na semana passada e, para complicar ainda mais, o repasse autorizado no dia 02 de abril foi de R$ 500 mil e não R$1 milhão solicitado, o vereador Jorge Miranda fez uma emenda e o dinheiro não deu para pagar a todos, com isso, cabe aos senhores vereadores desembaraçar este nó, pois como foi apurado, só em Piúma que está ocorrendo este impasse e os profissionais que mais precisam estão desmotivados e ameaçando abandonar o barco. Afinal de contas estão de frente com a pandemia, dando o sangue para cuidar de tantos e sem receber o que lhe é devido. Ora ora, se estão trabalhando devem receber e se foi autorizado R$3.100 milhões e até o momento, só foram repassados 1.500 milhão e meio, sendo autorizado no dia 03 de março R$1 milhão e no da 04 de abril R$500.000 mil que não foi suficiente. Ah, mas os atendimentos com especialidades estão suspensos, para que mais dinheiro, estão roubando!!! Ora, se estiverem cabem aos senhores a fiscalização é para isso que foram eleitos, o que não deve é fazer politicagem agora.

Se a saúde está comprometendo todo o orçamento de 2020 em apenas cinco meses como é o que parece, haja visto que, segue nesta quarta, 20, a votação da terceira parte do repasse, cabe aos vereadores fiscalizarem tim tim por tim tim, e se encontrarem irregularidades, façam a denúncia aos órgãos competentes, o que não pode é tentar atrapalhar o curso do rio, ou seja, dificultar o repasse não votando ou apresentando emendas no projeto que eles mesmos já votaram e deixar o hospital sem atendimento, porque estão arriscando a própria vida sem receber, não tem lógica.

Então, senhores vereadores, querem bater no “barbudinho”, batam, usem seus microfones, entretanto, não sangre os profissionais que deveriam receber de vossas excelências votos de congratulação, aplausos e também indicação de uma bonificação por estarem com a cara na reta para cuidar dos seus e dos nossos conterrâneos, amigos, visitantes e familiares.

Querem prejudicar a prefeita, juntem todas as provas e no mês de setembro, na cara da eleição, se houver, peçam auditoria, exponha tudo na mídia, no Ministério Público, no Tribunal de Contas e se couber CPI, abram, cassem, faça o que é dever dos senhores, mas por favor, sem prejudicar os profissionais da saúde.

Não estou dizendo que está tudo certo, que não tem erro, que a administração é 10, não é nada disso, estou dizendo, autorize o repasse que os senhores já aprovaram, e depois cobrem em auditorias, em CPI, em denúncias se for necessário, no Gaego, prenda o secretário se ele tiver roubando, mas agora, vamos pagar os trabalhadores, antes que eles cruzem os braços e morram os senhores e os seus familiares. Passem bem e se cuidem, mas votem, hoje de preferência! Paguem os profissionais da saúde e briguem nas urnas depois!

PS: O texto é um artigo de opinião

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*