PASTOR: padrasto é preso em Piúma acusado de estuprar enteada dos 9 aos 12 anos

Padrasto preso em Piúma acusado de estuprar durante três anos a enteada e abusar do filho de cinco anos. (O rosto dele não será mostrado e nem o nome citado para não constranger as vítimas)

G.S.S, 35 anos foi preso na tarde desta quarta-feira, 21, em Piúma acusado de estuprar uma enteada dos 9 aos 12 anos. A Polícia Civil (PC) entrou no caso após uma pessoa ir à delegacia fazer a denúncia depois do desabafo da vítima, hoje com 18 anos.

De acordo com informações da PC, a menina contou que o padrasto a estuprava desde os 9 anos até os 12, quando ela já não mais suportava a situação escreveu uma cartinha pedindo desesperadamente a mãe para ir morar com a avó.

A jovem relatou a Polícia que G furava buracos nas paredes dos banheiros das casas onde morava para vigiar a menina tomar banho. O crime foi cometido durante três anos, a menina hoje passa por tratamentos psicológicos devido os traumas que sofre.

A mãe da jovem contou que em uma determinada época chegou a desconfiar do marido com quem vive há 17 anos, pois ela o pegou olhando a menina tomando banho pelo buraco na parede que ele fizera. E após aquele momento ela passou a vigiar mais o marido, chegou a questioná-lo e ele disse que tudo era coisa da cabeça dela. A filha nunca revelara a mãe, nem mesmo os motivos de querer sair de casa.

A PC suspeita ainda que o homem acusado de estuprar a enteada tenha abusado sexualmente dos dois filhos, uma vez que, um menino da união dele com a mãe da jovem, de cinco anos contou que o pai dava banho nele, lavava o ‘bumbum e o piu piu’ e pedia que a criança também lavasse o pênis dele.

As crianças foram encaminhas a exame de corpo e delito, mas não ficou constatado estupro.

G.S.S chegou a fugir de casa de Piúma para Campos dos Goytacazes/RJ, quando tomou conhecimento de que estava sendo denunciado por estupro.

Em Campos ele se escondeu em uma favela, porém, o delegado David Gomes Santana já de posse de um mandado de prisão foi até a cidade de Campos para prendê-lo, mas ele fugiu de volta a Piúma, pois quando os bandidos da favela campista souberam que havia lá um estuprador fugitivo da PC mandaram logo um recado, com medo, o sujeito voltou a Piúma e foi preso em casa.

O homem foi detido e encaminhado ao Presídio Xuri em Vila Velha onde ficará aguardando o julgamento.

É crime quando é noticiado

A Reportagem conversou por telefone com Andréa Teixeira Magalhães, do Plantão Especializado de Atendimento à Mulher em Vitória para saber se, em casos como este, o crime prescreve ou não.

Andreia foi enfática, frisou que quando o crime é contra menor de idade não corre prescrição, só quando faz 18 anos é que começa o prazo prescricional para contar a punição do acusado. “Esses anos todos se passaram, mas o prazo prescricional não estava correndo”, disse.

Duas pessoas tem a titularidade para denunciar o abusador, tanto a mãe quanto a menor que, com 18 anos passa a correr a prescrição. “Agora ele fica preso e será julgado e a mãe talvez, também, se foi omissa. Ele será punido porque não ocorreu a prescrição uma vez que o fato aconteceu quando ela era menor de idade”, salientou a delegada consultada pela Reportagem.

Vale ressaltar que as mães devem observar sempre o comportamento dos filhos, no caso da menina estuprada, ela deu sinais, estava sofrendo calada, chegou a pedir socorro em uma cartinha e a mãe não percebeu. Aliás, havia pistas, pois, todas as casas que moravam ele furava um buraco na parede do banheiro para olha-la tomando banho.

Compartilhe nas redes sociais

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*