MONSTRUOSIDADE: filho pode ter envenenado, esfaqueado e colocado fogo no corpo do próprio pai em Cachoeiro de Itapemirim

O caso vem sendo amplamente divulgado nas redes sociais, desde o desaparecimento do ciclista em Cachoeiro de Itapemirim, o mistério chega com uma notícia monstruosa, o próprio filho teria ligado para a irmã e confessado o assassinato

Os detalhes deste crime monstruoso serão revelados nesta tarde de segunda-feira 04, pelo delegado da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP, dr. Felipe Vivas que estará dando um coletiva a imprensa.

O filho de Duramir Monteiro, 56 amos, o Dudu que estava desaparecido desde terça-feira (28) pode ter sido assassinado o próprio pai e com requintes de crueldade. Ele contou a irmã até aonde enterrou o corpo do ciclista, após atear fogo.

As informações são de que Duramir teria chegado de um “pedal” e saído de casa sem carregar nada e desaparecido. Desde então amigos e familiares se mobilizaram pedindo ajuda para encontrá-lo pelas redes sociais,

Segundo a Polícia Civil – PC divulgou no início da tarde desta segunda-feira (4), as investigações dão conta que o suspeito do crime, filho de Duramir, teria ligado para uma irmã e assumido que teria envenenado e esfaqueado o pai, contudo, até o momento não houve divulgação de que ele tenha sido localizado.

Comoção na cidade

Duramir Monteiro também era ciclista e um grupo de ciclistas, amigos e familiares se reuniu na manhã deste domingo (3), na Praça dos Taxistas, no Centro de Cachoeiro de Itapemirim, em manifestação pública a respeito do desaparecimento do motorista. Eles pedem que a apuração policial encontre respostas.

Nas redes sociais, eles também divulgaram um número de telefone celular dedicado a receber informações que poderiam levar ao paradeiro do motorista, e um destes telefones seria do filho suspeito do assassinato do pai.

Fonte: Dia a Dia Espírito Santo

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade