Publicidade

Missionária que mantinha abrigo clandestino em Itaipava pode ser indiciada por 15 crimes e vai responder por homicídios dos idosos

A missionária continua presa e deverá ser indiciada em 15 crimes, inclusive homicídios, maus tratos, mão de obra escrava entre outros

foto: Delegado e a equipe que trabalha no caso

A missionária E.S, presa na tarde do último dia 17, no Centro de Acolhimento Mãos Estendidas que funcionava de forma clandestina em Itaipava, Itapemirim interditado pela Polícia Civil continua detida e deverá ser indiciada por 15 crimes, entres homicídios dos idosos que foram a óbito no abrigo.

A Polícia Civil está debruçada no inquérito que investiga o Centro de Acolhimento Mãos Estendidas de Itaipava que foi fechado na última semana. Amanhã o delegado responsável pela investigação, Dr. Djalma Lemos apresentará o relatório do que foi apurado até o momento. Por hora, a missionária poderá ser indiciada em 15 crimes, inclusive por homicídios. Ela está presa no Presídio Feminino de Cachoeiro de Itapemirim.

Há suspeitas de que uma mulher que trabalhava no local sem qualquer remuneração tenha sido violentada e sofrido estupro. A polícia está levantando informações dos internos que foram a óbito, mas nenhum deles tinha sequer uma ficha de acompanhamento médico, o que dificulta saber quais as comorbidades e doenças de cada um. Investiga também o delegado os profissionais de saúde que tenha atestado os óbitos.  

Sabe-se até então, que o imóvel pertence a um médico que também estará sendo investigado.

USO DO NOME

Tudo indica que a missionária E. S tenha copiado o nome da Ong Missão Mãos Estendidas – MME que possui 20 anos.

A Missão Mãos Estendidas – MME – é uma Organização Cristã, não governamental e interdenominacional, focada em alcançar lugares de extrema pobreza, especialmente no Continente Africano, através do cuidado infantil, capacitação e sustento de líderes locais.

“Desde então, temos desenvolvido projetos periódicos na região. Atualmente, além dos países mencionados, expandimo-nos também para Zâmbia. Nesses países, temos mais de 350 igrejas e 350 pastores nativos”.

A visão da MME é ser uma manifestação prática da verdade e da compaixão de Deus para aqueles que estão em situação de extrema pobreza, principalmente às crianças e aos pastores africanos.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade