Ministro Tarcísio autoriza obras da Imetame e destaca parceria com a Findes

Em reunião online ontem, terça-feira (14), com a Federação das Indústrias do Espírito Santo, a bancada capixaba e empresários, o ministro Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura, autorizou o início das obras do terminal portuário da Imetame, em Aracruz, um investimento de R$ 1 bilhão, e destacou a parceria da Findes com o governo federal.

Participaram do encontro o presidente da Findes, Léo de Castro, a presidente eleita da Federação, Cristhine Samorini, os senadores Rose de Freitas e Marcos Do Val e os deputados Evair de Melo, vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara, e Da Vitória, coordenador da bancada, entre outros.

O Porto da Imetame terá profundidade de 17m, uma importante opção operacional para as linhas de longo curso que operam com navios de grande porte no Brasil. O porto, que poderá ter operação totalmente automatizada, estará preparado para atender a próxima geração de navios conteineiros, New Post Panamax e também Capesize de grãos. A obra deve começar neste segundo semestre de 2020 e durar 3 anos.

“A Findes vem atuando com um protagonismo intenso e ajudando a construir bons caminhos para o Brasil e o Espírito Santo. Agradeço ao Léo de Castro esse caminho que temos trilhado, Léo tem sido sempre parceiro, e desejo boa sorte para a Cristhine, que seja bem sucedida no seu mandato”, disse o ministro.

Na reunião com Tarcísio de Freitas, o presidente da Findes destacou que o Espírito Santo pode ser uma importante alternativa para o comércio exterior do país.

No momento, o Brasil tem duas grandes rotas de movimentação de grãos: o Porto de Santos, que responde por 59%, dessa movimentação, e o chamado Arco Norte (com portos como os de Manaus, Miritituba e Itaqui), que responde por 25%.

“O Espírito Santo responde por apenas 9% do granel agrícola, com largo espaço a ampliar essa participação. Com a pandemia, o Brasil precisa ampliar essa terceira via, pois o mercado está revendo a sua logística e sua política de estoques e vai exigir maior número de alternativas”, observou Léo de Castro.

A solução pelo Espírito Santo pode ser a mais rápida, considerando a desestatização da Codesa, o porto da Imetame e o Porto Central. O Estado pode ainda ser protagonista no projeto BR do Mar, que estimula a navegação de cabotagem.

“Esses investimentos são com recursos privados, sem demanda relevante de dinheiro público, e contamos com apoio de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso”, destacou Léo.

Ele apresentou ao ministro as prioridades consideradas mais urgentes para a infraestrutura do Estado e do país: a renovação do contrato do Terminal de Vila Velha (TVV), o apoio à implantação do Porto Central, em Presidente Kennedy, a retomada das obras da BR 262 e o Porto da Imetame, autorizado de imediato pelo ministro, durante a reunião.

Com relação ao TVV, o ministro Tarcísio explicou que a Secretaria de Portos do Ministério dos Transportes concorda com o mérito da prorrogação do contrato, mas houve um erro na tramitação do processo na Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) que será resolvido ainda este ano.

Sobre a BR 262, o ministro avalia que a solução definitiva deve vir com a concessão da rodovia, com leilão previsto para 2021. O Porto Central dependerá de mais diálogo.

“Esse diálogo com a União é muito importante para a gente”, destacou a senadora Rose de Freitas. Participaram ainda do encontro empresários e executivos, como o diretor executivo da Imetame, Gilson Pereira, Jose Maria Novaes, CEO do Porto Central, e Cleber Lucas, Diretor da Log-In Logística.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*