Publicidade

Depois de bater na traseira do Renault Kwid, marceneiro cai da moto na pista, é atropelado por um Fox e morre em Anchieta

O corpo está sendo aguardado em Iriri, onde nasceu e cresceu. O velório será na Igreja da Comunidade onde frequentava com a família

O corpo de Marinaldo será velado na Igreja onde frequentava

O marceneiro Marinaldo Machado da Matta, 48 anos residente em Iriri conduzia a motocicleta Honda CG 150, placa MSC 7734 quando bateu na traseira do Renault Kwid, placa QRL7F77 que estava sendo conduzido por J.K da C, com o choque da batida Marinaldo caiu na pista e acabou sendo atropelado pelo veículo VW Fox placa NYK2C97 conduzido pelo senhor G.L. da S. que não conseguiu desviar e acabou atropelando o marceneiro que morreu no local.

O acidente ocorreu na Ponta dos Castelhanos em Anchieta, no inicio da tarde desta segunda-feira 06.

Quando o socorro chegou Marinaod já estava morto

A primeira informação que o portal Espírito Santo Notícias veiculou era de que o Renault Kwid havia forçado uma ultrapassagem com o Fox e causado o acidente culminando com a morte de Marinaldo. Porém, informações do Boletim Unificado – BU confeccionado pela Polícia Militar (PM) não traz esta informação.

A Guarda Municipal – GM chegou ao local do acidente e acionou o socorro, mas infelizmente foi constatado que Marinaldo morreu na hora.

A Perícia da Polícia Civil – PC foi acionada e removeu o corpo ao Serviço Médico Legal – SML de Cachoeiro de Itapemirim onde foi necropsiado e liberado para sepultamento.  

O velório

O velório de Marinaldo está marcado para às 15h00, na Igreja Católica Nossa Senhora das Graças na Comunidade de Iriri onde ele frequentava com a família e era leitor do corpo litúrgico e também fez crisma.

O sepultamento ainda será anunciado. Está prevista para as 16h00 a missa de corpo presente.

Iriri está de luto

Faltam adjetivos para classificar o marceneiro Marinaldo Machado da Matta, 48 anos que morreu no acidente desta segunda-feira em Anchieta.

A morte da Matta, que tem um irmão gêmeo e sócio dele na Marcenaria que leva o seu sobrenome, na Reta de Subaia pega todos de surpresa, uma vez que ele sempre foi extremamente cuidadoso e dificilmente cometeria uma imprudência no trânsito. Iriri está de luto e chora junto com a esposa de Marinaldo, Viviane e os três filhos: João Ana Luíza e Laura.       

A Reportagem conversou com a presidente de Associação Iriri Vivo, Sirlene Ferreira que enalteceu as qualidades de Marinaldo, dizendo que ele nasceu e cresceu na Comunidade onde mora. E, é bastante querido. “Um bom irmão, um bom marido, um bom pai, um excelente profissional, uma pessoa que não tem defeitos. Ele era filho da comunidade de Iriri, muito amado, ele era tudo de bom. Ativo na igreja, presente na família, amigo, caprichoso. Ele mesmo quem fazia os orçamentos”, disse Sirlene.

E ontem, Marinaldo havia saído para fazer um orçamento em Castelhanos e aconteceu esta tragédia. “Estamos todos muito abalados. Ele gostava das coisas dele corretas. Nunca ouvi falar em um deslize dele, andava certinho, era muito trabalhador. Ele fez crisma com os meus filhos, está difícil de acreditar. Estava com todo cuidado para não pegar a Covid-19 e aconteceu esta fatalidade”, frisou Sirlene Ferreira.

O assessor político Geovane Meneguelli, amigo de Marnaldo está muito triste com a morte do marceneiro. “Recebemos com muita tristeza a notícia do falecimento de Marinaldo Machado da Matta; carinhosamente conhecido como “Preto”. A comunidade de Iriri, em especial, lamenta profundamente essa partida precoce e se solidariza com a família da Matta neste momento de imensa dor e tristeza. Que Deus conforte os corações da esposa, filhos, irmãos, familiares e amigos, concedendo-lhes o consolo necessário. Nossos mais sinceros sentimentos!”.

O jornal lamenta a morte de Marinaldo e estende um abraço a todos os familiares e amigos.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade