Mapa vai registrar trabalhadores, grupos e espaços culturais em Venda Nova/ES

A Prefeitura de Venda Nova do Imigrante, por meio da Secretaria Municipal de Turismo, Cultura e Artesanato, lançou na última nesta sexta-feira (24) o Mapa da Cultura, instrumento para cadastrar os trabalhadores e trabalhadoras da cultura, os espaços culturais, as entidades, festas tradicionais e os grupos ligados à cultura do Município. O formulário, acessível abaixo, objetiva auxiliar na implementação da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc e ficará disponível até o próximo dia 31 de julho.

Para centralizar as informações sobre a implementação da Lei Federal N.º 14.017/2020 no Município, um grupo de WhatsApp foi criado e será mais um canal de comunicação da Secretaria Municipal de Cultura com a comunidade e os possíveis beneficiários da Lei. Para entrar no grupo basta clicar no link: https://bit.ly/3jE8YRp.

Para quem não têm acesso à internet, servidores da Secretaria ficarão à disposição no Centro Cultural e Turístico Máximo Zandonadi, de segunda a sexta-feira, das 13h às 16h, para auxiliar no preenchimento das informações. Todos os devidos cuidados de prevenção à Covid-19 vão ser tomados. Ligue (28) 3546-6105 e saiba mais.

Saiba mais sobre a Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc


Link direto direto para o formulário: https://forms.gle/UczGsTo6da3Ydu6S6  

Sobre o Mapa da Cultura

Devem se inscrever todos os trabalhadores que desenvolvem atividades culturais e artísticas, como técnicos, artistas, artesãos, cantores, atores, produtores, agentes da cultura popular, curadores, oficineiros, professores e instrutores de arte e cultura, entre outros trabalhadores da cadeia produtiva da cultura.

Também devem se inscrever os espaços culturais e artísticos, como grupos, associações e entidades que desenvolvem atividades culturais, teatros independentes; escolas de arte em geral; circos; livrarias; editoras e sebos; centros culturais; museus comunitários; pontos e pontões de cultura; espaços de comunidades indígenas ou quilombolas; bibliotecas comunitárias; centros artísticos e culturais afrodescendentes; espaços de povos e comunidades tradicionais; estúdio de fotografia; estúdios de música; produtoras de audiovisual; feiras culturais e outros espaços e atividades culturais. 

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*