KENNEDY – da roça ao gabinete da Prefeitura

Vice-prefeito de Kennedy Dorlei Fotão assume a Prefeitura após afastamento por 60 dias da prefeita Amanda Quinta.

Dorlei Fontão é um dos vice-prefeitos mais simples que se possa imaginar. Ontem, 08, na hora que o Gaeco estava na casa da prefeita Amanda Quinta Rangel, em Presidente Kennedy ele estava chegando de uma roça de mandioca em casa, na localidade de Santo Eduardo.

Comedido para falar e muito tranquilo, Dorlei assumiu nesta tarde o comando da Prefeitura de Kennedy. Pela manhã estivemos na casa dele, mas ele não se encontrava, a informação é que ele estava e Cachoeiro de Itapemirim em uma consulta médica.

Ex-vereador por quatro mandatos, Dorlei Fontão falou na tarde de ontem por telefone que a situação o deixa um pouco chateado, ver mais uma vez o município nas páginas policiais, entretanto, ele estava à disposição para o chamado. Disse não saber de nada sobre a Operação Rubi e que estava naquele momento recebendo diversas mensagens e que iria se inteirar do assunto para depois falar com a imprensa.

Segunda-feira Dorlei anuncia o nome dos novos secretários que assumirão as pastas: Desenvolvimento Econômico, Assistência Social e Obras, estes afastados por 60 dias e impedidos de entrar nas repartições públicas.

O expediente foi normal na tarde desta quinta-feira, 09, na Prefeitura de Presidente Kennedy. Na cidade os burburinhos de mais um escândalo. Há quem diga que foi um golpe, pela forma que ocorreu, outros defendem a tese de vingança, uma vez que José Augusto era fiel escudeiro de Theodorico de Assis Ferraço e o traiu, o deputado teria tramado junto com o ex-prefeito, Reginaldo Quinta, afastado, cassado e preso. Posteriormente a prisão do tio de Amanda, José Augusto aposta na sobrinha que é eleita para assumir o lugar do tio. Seria a vingança?

Há quem diga que o contrato com a empresa Limpeza Urbana foi reprovado pela Procuradoria, mas o secretário de Meio Ambiente teria assinado sob pressão de José Augusto. O Ministério Público já investigava a Prefeitura desde 2017 e tinha escutas telefônicas e quebra de sigilo bancário.

Amanda foi presa em flagrante na noite de ontem acusada de receber propina do empresário Marcelo Marcondes, da empresa Limpeza Urbana, mas com ela não tinha nada.

De acordo com a assessoria de Imprensa Amanda estava na sala em reunião com um grupo de servidores, entre esses o Secretário de Obras, Miguel Qualhano – o Ministério Público já havia solicitado o afastamento dele por 60 dias, quando o empresário chegou à casa dela e seguiu pelos fundos, onde encontrou o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Augusto Paiva, seu companheiro. Contra José Augusto pesava um mandado de prisão temporária e o secretário e Assistência Social, Leandro Rainha – este com afastamento solicitado pela Justiça e muito criticado na cidade, inclusive com apelido alusivo à corrupção, “Rato da barriga preta”. Leandro ostentava muito em Kennedy inclusive com carro zero, chamou atenção. “A menina é inocente, é tudo culpa do forasteiro”, disse uma senhora próximo a Prefeitura. “Amanda não tem nada a ver com isso, foi o marido dela, eu sabia que ele ia colocar ela numa situação difícil, todo mundo sabia, ele traiu o tio dela, ia trair ela”, disse uma dona de casa. “Será que Amanda sabia, eu acho que ela não participava disso, ela nem gostava de falar desse assunto”, disse um cidadão na porta do Banco do Brasil, em frente Prefeitura. Hoje a cidade só falava deste assunto. “Estamos com ela, sempre”, disse uma fiel escudeira que pediu anonimato.

 

Saque de R$30 mil

 

O empresário Marcelo Marcondes havia feito um saque mais cedo, nesta quarta-feira,08 e se dirigiu a casa da prefeita Amanda. Ele foi seguido pelos policiais do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado, GAECO com a mochila onde continha o dinheiro.

Embora a prefeita tenha sido presa em flagrante acusada de recebimento de propina de R$30.00, a mochila estava em poder do empresário que afirmou estar com a quantia para fazer pagamento dos funcionários. Somente Amanda foi presa em flagrante, o esposo tinha mandado de prisão. Leandro e Miguel foram afastados dos cargos.

Além dos R$30.000 encontrados na mochila de Marcondes, três armas sem registro, duas em poder de José Augusto e uma com um segurança dele.

 

O que apontam as investigações

 

Segundo o Ministério Público, as investigações colheram fortes indícios do envolvimento de agentes políticos e servidores municipais no recebimento de propina de empresários dos ramos de limpeza pública e transporte coletivo como contraprestação a benefícios financeiros em licitações e contratos e possível enriquecimento indevido dos envolvidos.

A partir de agora, a equipe responsável vai analisar documentos, computadores, dados colhidos durante a operação. Vai também ouvir, nas próximas semanas, depoimentos de investigados e testemunhas.

Ao todo, cinco membros do Ministério Público (um procurador de Justiça e quatro promotores de Justiça) coordenam os trabalhos, auxiliados por 22 agentes do Gaeco e por policiais militares.

Crimes

Os crimes investigados estão previstos no Dec-Lei nº 201/67, na lei nº 12.850/13 (organização criminosa), lei nº 8.666/93 (fraude em licitações), Lei n. 9.613/98 (lavagem de dinheiro), além de corrupção ativa, passiva e falsidade documental.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*