Juíza arbitra fiança de R$269.460,00 mil para soltar os acusados de venda de certificados em Piúma

Juiz arbitra fiança de 90 salários mínimos para libertar cada um dos três presos em Piúma acusados de venda de certificados, o próximo passo é um habeas corpus no TJES

A juíza da Comarca de Piúma Serenuza Marques Chamon arbitrou uma fiança no valor de 90 salários mínimos para os três presos em Piúma acusados de venda de certificados falsos de cursos livres.

A secretária de Educação, Isabel Fernanda Scherrer Rocha, o administrador da empresa acusada de venda de certificados, Carlos Antônio M. Castro e Ricarda dos Santos Souza, funcionária continuam detidos. Os três foram presos em flagrante, nesta terça, 13 em Piúma,

De acordo com o advogado que defende os três acusados José Peres Araújo, a juíza concedeu a liberdade provisória dos três, porém arbitrou a fiança no valor de 90 salários mínimos para cada preso, ou seja R$ 89.820,00 que somados chegam a R$269, 46.00 mil reais, um valor bastante alto e complicado de levantar de uma hora para a outra.

José Peres adiantou que o lado bom é a juíza não decretou a prisão preventiva de Fernanda, nem dos outros detidos, o promotor queria. “A juíza arbitrou uma fiança altíssima. Eu vou entrar com um habeas corpus no Tribunal de Justiça, vamos ver se conseguimos este liminar amanhã. 90 salários mínimos para cada um é muito dinheiro”, informou o advogado Peres.

Continuam presos, Fernanda, Ricarda e Carlos até uma superior decisão no Tribunal de Justiça do ES.   

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*