Jornalista Roney Moraes dá nome a biblioteca na Estação Cidadania “Sérgio Sampaio”

A nova biblioteca tem o nome de Roney Argeu Moraes, em homenagem ao jornalista, psicanalista e ex-presidente da Academia Cachoeirense de Letras (ACL), falecido em 2017.

Cachoeiro ganhou mais uma biblioteca pública. Ela fica na Estação Cidadania – Cultura (ECC) “Sérgio Sampaio”, no bairro Ruy Pinto Bandeira, e já conta com um acervo de mais de 2.500 livros, a maior parte deles disponível para empréstimo.

No espaço, os leitores encontram títulos de literatura brasileira e estrangeira, de autoajuda, de cunho religioso e filosófico, além de livros de pesquisa e de personalidades locais, representantes de Cachoeiro e do Estado.

Para ter acesso ao serviço de empréstimo, o usuário deve se cadastrar pessoalmente na biblioteca, sendo necessário apresentar documento pessoal com foto e comprovante de residência. Menores de 14 anos devem estar acompanhados do responsável. Cada leitor pode levar para casa um livro, com prazo de 10 dias para leitura e devolução.

Administrado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Semcult), o espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Atividades culturais

Nomeada Sérgio Sampaio em tributo ao músico cachoeirense de renome nacional que viveu de 1947 a 1994, a ECC também abriga oficinas artísticas de máscaras e esculturas em telas, teatro e dança – todas com vagas esgotadas, no momento.

Além disso, recebe eventos culturais. Neste mês, por exemplo, o Cinetratro “Carlos Eduardo da Corte Imperial”, que integra a ECC e foi batizado em homenagem ao artista cachoeirense Carlos Imperial (1935-1992), recebeu a visita de mais de 300 alunos da escola Eliseu Lofego.

Os estudantes conheceram o projeto de educação patrimonial “Charolas Quadro a Quadro”, que ensina de forma lúdica sobre a história da Charola de São Sebastião, uma expressão da cultura popular presente em algumas comunidades do município, como na região de Burarama. Os alunos ainda participaram de atividades do projeto “Aquarela Natural”, em que artistas ensinaram sobre fabricação sustentável de tinta de argila. Os dois projetos contam com o apoio do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura).

“A Estação Cidadania – Cultura é uma bela proposta de gestão compartilhada entre setor público e sociedade organizada. Esperamos que a comunidade se beneficie dos serviços deste grande espaço democrático”, afirma a secretária de Cultura e Turismo, Fernanda Martins.

Outros serviços
Com cerca de 3 mil metros quadrados, a ECC ainda conta com quadra coberta, bicicletário, playground, pista no entorno para caminhada, além de espaços para telecentro e Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*