Iúna: Secretário de Gestão pede exoneração e diz que foi vítima de armação política

No último dia 2, o secretário de Gestão da Prefeitura de Iúna, Weverton Luiz Ferreira Santiago, pediu exoneração do cargo e, por meio de uma carta entregue ao prefeito Coronel Weliton, relatou que sofreu perseguição administrativa, foi vítima de armação política e chegou a ser ameaçado.

Fontes ligadas ao Executivo Municipal confirmaram a insatisfação do ex-secretário, que já havia, anteriormente, solicitado a exoneração ao prefeito, tendo dado como data limite de sua permanência na administração até o mês de dezembro do ano passado.

Uma das alegações também citada na carta é o problema envolvendo a licitação para o transporte escolar, um dos assuntos mais debatidos na cidade em 2019.

Nos bastidores da política a informação é que Weverton não gostou de ter seu nome vinculado ao do atual secretário de Educação de Iúna, com o qual ele teve vários embates por causa da morosidade na preparação do processo licitatório do transporte escolar.

A reportagem teve acesso a documentos públicos digitalizados, que foram publicados no site da Prefeitura, que comprovam que o ex-secretário de Gestão vinha cobrando a preparação e a entrega do processo da Secretaria Municipal de Educação ou a renovação do contrato com a empresa que prestava o serviço desde setembro de 2018.

Já o secretário de Educação, André Ferreira, alegava que a ordem do prefeito Coronel Weliton era para licitar e que estava esperando as planilhas da Secretaria Estadual de Educação (SEDU), cujos documentos só chegaram ao município em maio do ano passado, dando causa a dois inéditos contratos emergenciais.

Clima tenso

Segundo fontes, no mês de agosto de 2019 a coisa ficou ainda mais tensa entre Weverton e André Ferreira. Na época, o então secretário de Gestão emitiu documento dando prazo de 15 dias para que a equipe da Secretaria de Educação preparasse o processo para licitação e citou que uma cópia de toda a documentação seria enviada para o Ministério Público Estadual (MPES), Câmara Municipal e para acompanhamento da Controladoria Geral do Município.

Interferências

Outra alegação no pedido de exoneração foi o fato do ex-secretário não aceitar interferências políticas de membros do Governo Municipal. Na época, a Secretaria de Gestão assumiu a direção da Santa Casa de Iúna e Weverton teve o desafio de reestruturar a administração do hospital, recuperando as certidões negativas da instituição para que pudesse voltar a receber recursos públicos por meio de convênios.

O ex-secretário cita a não observação da imparcialidade e impessoalidade de setores da administração e registra que muitas pessoas que fazem parte do Governo Municipal confundem preferências particulares com prestação de serviço público, no qual classificou como “uma prática arcaica e mantida pela velha política”.

Ele termina a carta desejando sucesso ao prefeito e agradeceu a oportunidade que teve de atuar como secretário de Gestão.

Oposição

Procurado pela reportagem, o ex-secretário Weverton Santiago preferiu não dar detalhes da sua saída da pasta de Gestão. Ele ressaltou que chegará à hora falar, mas que neste momento prefere a discrição, como sempre fez, e que não adotará a postura de oposição a administração de Coronel Weliton.

Fonte: aquinoticias

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*