ITAPEMIRIM: assassina de Zé Mauro Sales vai à juri popular amanhã

O que a família de Zé Mauro Sales espera é por justiça, apenas, pois a saudade, não tem fim. O júri ocorre em Vila Velha/ES

Está confirmado para esta quarta-feira, 04, às 13h00 o júri popular da assassina confessa do ex-secretário de Gerência Geral de Itapemirim, José Mauro Sales, o Zé Mauro, no Fórum de Vila Velha, às 13 horas.

O Tribunal de Justiça do Espírito Santo – TJES determinou que o júri do assassinato de Zé Mauro ocorra fora de Itapemirim, por entender que há riscos à imparcialidade do julgamento. A decisão foi tomada após a ré presa envolver o nome do prefeito interino Thiago Peçanha como mandante do assassinato.

A família de Zé Mauro espera por justiça que quer que o culpado pague pelo crime covarde que cometeu comum homem integro e que se dedicava a vida a fazer o bem ao próximo. Abalados ainda, a família prefere apenas o silencio, porque a saudade dó todos os dias e a lembrança de Zé Mauro faz parte do cotidiano de todos os Sales. A condenação da ré e de quem estiver envolvido nesta trama não vai aliviar a dor da perda de Zé Mauro, mas sem dúvida, dará aos culpados o melhor destino, a cadeia, comentou um amigo da família.

Vila Velha

Há rumores de que o processo tem provas materiais que envolvem o prefeito interino Tiago Peçanha. E segundo amigos do ex-secretário o júri desta quarta-feira trará revelações que deixarão Itapemirim perplexa.

A Reportagem deverá acompanhar o júri popular e trazer as informações em tempo real deste julgamento muito aguardado em Itapemirim.  

As Câmaras Criminais reunidas do TJES decidiram, por unanimidade, retirar da Comarca de Itapemirim o processo que apurou o assassinato do então secretário de Gerência Geral do Município, José Mauro Sales, morto em setembro de 2017 em sua residência. Com a decisão do TJES, o caso passou a tramitar em Vila Velha.

Um ano e três meses após o crime, a ré presa, que confessou ter executado o secretário envolveu o nome de Thiago Peçanha como mandante do crime.

Carla Rogério Ribeiro Ferreira, presa duas semanas após o assassinato, fez a acusação as autoridades judiciárias do município no dia 18 de setembro de 2018 e tentou em janeiro de 2019 um acordo de delação premiada com o Ministério Público. O acordo foi rejeitado por falta de elementos que pudessem sustentar a informação e segundo a matéria da Gazeta não há nada que implique o prefeito.

Convém ressaltar que Itapemirim é uma cidade que vive o clima de intensa guerra política. Ameaça, afastamento de políticos por decisão da justiça, CPI’s que são instauradas e não dão em nada, vereadores que são investigados, já teve prefeito assassinado, servidora que atropela cavalo e morre, mas o animal não aparece na cena, enfim, Itapemirim vive em constante instabilidade política.

O CRIME

Um crime mancha de sangue de mais uma vez a história do pacato município de Itapemirim, o assassinato covarde do secretário Municipal de Gerência Geral, José Mauro Sales da Penha, de 58 anos com seis vários tiros, na noite de domingo (3) de setembro no interior de sua residência, localizada no balneário de Itaoca. O crime ocorreu por volta das 21h00 e a vítima morreu no local.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, na Polícia Civil, Zé Mauro foi assassinado com seis tiros, dois disparados no peito e quatro pelas costas quando ele tentou ainda correr para fora da casa. Várias buscas foram realizadas, mas os suspeitos não foi foram localizados na noite de domingo. O caso é investigado pela Polícia Civil do município, que conta com o apoio da Secretaria Estadual de Segurança Pública. Na manhã de ontem o secretário André Garcia esteve na sede do município acompanhando as investigações e o andamento do caso. Os delegados, Guilherme Eugênio, da Delegacia de Crimes Contra a Vida de Cachoeiro de Itapemirim acompanha os delegados, Drº Djalma Lemos de Itapemirim e Drº Geraldo Peçanha de Piúma na investigação. Ontem à tarde foi realizada a segunda perícia na casa do secretário assassinado.

José Mauro era braço direito do prefeito em exercício, Thiago Peçanha. Percorri todo o município e tratava pessoalmente as demandas para adiantar ao prefeito. Simples, objetivo e político, Zé Mauro não ostentava nada, nem mesmo um veículo possuía. Não temia a nada, não tinha segurança e morava sozinho em um duplex na Rua Canaã, em Itaoca.

Recado

Zé Mauro tinha uma relação íntima com as redes sociais, e usava muito ultimamente para postar frases com mensagens subliminares. Na manhã de domingo ele compartilhou uma publicação em sua página no Facebook. “Não vás ao meu funeral mostrar o quanto gostavas de mim. Mostra-me o quanto gostas de mim agora, enquanto estou vivo”.

Pelas publicações Zé Mauro passeava entre frases e pensamentos dos maiores autores da literatura Brasileira, como se pode ver nessa citação de Clarice Lispector. “Até onde posso, vou deixando o melhor de mim… Se alguém não viu, foi porque não me sentiu com o coração”. Essa citação define muito de quem foi José Mauro Sales da Penha.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*