Publicidade

Indicação na Assembleia Legislativa propõe prorrogação do auxílio emergencial

O deputado estadual Renzo Vasconcelos protocolou a proposição na Assembleia Legislativa esta semana

O deputado Renzo Vasconcelos (Progressistas) protocolou esta semana na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) um pedido de prorrogação do auxílio emergencial, ação que foi criada pelo Governo Federal para amenizar os impactos da pandemia na vida de milhões de famílias brasileiras. No texto da indicação 155/2020, o parlamentar pede que o Governo do Estado interceda pela renovação do auxílio.

A ajuda financeira do governo brasileiro começou a ser distribuída em abril de 2020. O governo Bolsonaro entregou 9 parcelas do benefício, cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300. Mulheres chefes de família tiveram direito a duas cotas. Portanto, as cinco primeiras parcelas foram de R$ 1.200, enquanto as quatro últimas foram de R$ 600.

Deputado Renzo Vasconcelos – Foto: Lissa de Paula/Ales


Com o fim do período de auxílio, muitos brasileiros ainda não voltaram ao mercado de trabalho e nem se reestabeleceram financeiramente. Esse é o caso de Lívia Costa, empreendedora do ramo de comunicação, que teve contratos cancelados. “Com a economia em queda, muitos clientes optaram por cancelar o vínculo mensal que tinham comigo. Isso acabou com minha receita”, explicou.

A microempresária disse ainda que, mesmo agora com a abertura gradativa dos setores, ainda não conseguiu se reestabelecer. “Muitas lojas que eu atendia também estão mal das pernas e não estão priorizando, por exemplo, serviços na minha área. O auxílio complementou minha renda e me ajudou muito”, finalizou.

Para o deputado Renzo Vasconcelos, é de extrema importância prorrogar o auxílio. “A economia não está estabilizada e muitas famílias ainda não reconquistaram as suas rendas. As taxas de desemprego estão altas. Mesmo com reabertura de comércios e indústrias, ainda há impactos econômicos significativos”, comentou.

A indicação 155/2021 já está protocolada na Ales e, assim que for analisada, será enviada para o Governo do Estado.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *