IEL-ES oferece Curso de Desenvolvimento de Conselheiros com foco em Governança Corporativa

Governança Corporativa é um termo que tem ganhado espaço nas organizações que buscam um modelo moderno de gestão, bem como as que têm como objetivo dar maior eficiência e maior transparência em suas ações. Entre os benefícios estão a contribuição para um desenvolvimento econômico sustentável, proporcionando melhorias no desempenho, além de maior acesso a fontes externas de capital. Por estes motivos, torna-se tão importante ter conselheiros qualificados.

Ciente dos benefícios desse moderno modelo de gestão, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-ES) está ofertando o Curso de Desenvolvimento de Conselheiros. A primeira turma aconteceu nessa primeira quinzena de junho com a participação de 45 conselheiros da Findes, do Sesi e do Senai. Em breve, novas turmas serão abertas para membros de conselhos de administração de empresas.

Para o presidente da Findes, Léo de Castro, a função de conselheiro requer preparação, para que o debate levantado durante as reuniões gere resultados efetivos para o funcionamento de uma empresa.

“Tanto o Conselho quanto a Assembleia da Findes, do Sesi e do Senai têm um papel de extrema relevância para o bom desempenho das nossas entidades. E o Conselheiro para contribuir com a empresa, precisa entender qual é o seu papel, a sua responsabilidade, bem como a abrangência da sua atuação e como desempenhar sua função. Essa é uma atividade que precisa de uma preparação prévia, para ser exercida com conhecimento de causa, pois requer maturidade no trato, um debate com lógica e convencimento da coletividade para que a organização siga o seu caminho”, ressaltou o presidente.

Em uma grande empresa, o presidente e o conjunto da diretoria executiva se reportam hierarquicamente ao conselho de administração ou representantes, como é o caso da Federação das Indústrias. O nome que se dá para as funções exercidas por este conselho de administração é ‘governar’. O conselho de administração governa a empresa, faz a governança corporativa, enquanto o diretor presidente e demais diretores executivos a administram.

Por meio das práticas de governança corporativa é possível estruturar o relacionamento entre acionistas, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais stakeholders; definir políticas, normas, e procedimentos para esta estrutura organizacional com base na legislação, regulamentação e melhores práticas; além de definir diretrizes estratégicas, objetivos e parâmetros de desempenho para a empresa.

Esses, inclusive, são assuntos abordados durante o curso, ministrado pelo Ministrado por Adriano Salviato Salvi, especialista em Governança Corporativa.

Para o presidente do Sinduscon-ES e vice-presidente eleito da Federação, Paulo Baraona, o curso cumpriu com o seu objetivo. “O curso deu um upgrade na forma como nós, enquanto sindicatos membros da Federação das Indústrias, participamos como Conselheiros na Findes. Foi muito mais que uma reciclagem. Ele trouxe uma nova metodologia de atuação, baseada em uma gestão moderna, onde os conselheiros passam a ter um comprometimento parecido com o de acionistas. Acreditamos que essa formação nos prepara melhor para uma nova gestão”, afirmou.

A primeira turma teve o formato de curso online, com carga horária de 16 horas, distribuídas em quatro encontros virtuais com quatro horas de duração.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*