Identificadas as três vítimas de Alfredo Chaves/ES mortas na tragédia

O corpo do casal, Antonia e Oswaldo, ainda encontra-se soterrado sobe os escombros da casa que foi derrubada por uma “montanha” de lama e terra

Laercio Tavares faleceu na localidade de Recreio

Em Alfredo Chaves três pessoas acabaram morrendo vítimas das fortes chuvas que caíram na cidade na noite desta sexta-feira 17. As três já foram identificadas, o casal de idosos Antônia e Oswaldo tiveram a casa destruída e foram soterradas e Laércio Tavares, residente na comunidade de Recreio.

O rastro de destruição ficou por toda a cidade. As chuvas torrenciais que caíram em vários estados e, também no ES, na tarde dessa sexta-feira, castigaram fortemente alguns municípios, causando muitas perdas, materiais e físicas. Os municípios de Iconha, Alfredo Chaves e Vargem Alta foram os três dos mais castigados, deixando até o momento um saldo de cinco vítimas fatais.  

Os corpos do casal Antônia e Oswaldo ainda se encontram soterrados sob os escombros da casa que foi derrubada por uma “montanha” de lama e terra. Como a casa era grande, de dois andares, os escombros acabaram bloqueando a passagem da estrada que liga Matilde a Alfredo Chaves.

O Corpo de Bombeiros encontra-se no local para as buscas. O neto do casal, Luan Barbosa foi socorrido com vida e encaminhado de Helicóptero para outro município com algumas fraturas e muitas escoriações.

A outra vítima foi Laércio Tavares, que faleceu na localidade de Recreio. Enquanto ajudava a irmã, um barranco desmoronou e ele foi soterrado.

O Corpo de Bombeiros e a Guarda Municipal não cessam os trabalhos até porque muitas famílias perderam tudo e encontram-se desabrigadas. Os moradores afirmam que esta enchente foi muito pior que a ocorrida em 2012, que também assolou o município, porém, na época, sem vítimas fatais, como a de agora.

Na localidade do Gavião, ainda em Alfredo Chaves, a água carregou o muro e os banheiros da igreja e, também o bar da senhora Tira Tomazini, que ficavam à margem do rio.

A ponte principal da cidade acabou não aguentando e foi derrubada pela força da água, assim como várias árvores arrancadas inteiramente ao lado do rio.

A Casa Lar “Aconchego do Idoso” foi completamente tomado pela água e lama. Os idosos foram levados para o segundo andar e estão sem água e comida desde ontem, esperando ajuda.

A ponte que liga o centro de Alfredo Chaves ao Parque de Exposição foi carregada pela chuvas. Vários bairros estão isolados pela água. A situação é caótica.

O empresário do Ramo de veículos, conhecido como Giló, perdeu tudo o que havia em casa e também na revendedora de veículos.

Iconha

Em Iconha, por sua vez, o nível da água subiu ainda mais, alcançando o segundo pavimento das casas, alagando e destruindo residências e comércios inteiros, um prejuízo incalculável. Um cenário de guerra.

Muitas pessoas da sociedade civil organizada e voluntários em geral, como igrejas, associações e comércios dos municípios vizinhos estão se mobilizando para arrecadar alimentos, água potável, velas e roupas.

Fotos/ Ana De Claret –

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*