Fundação Renova apresenta relatórios dos últimos meses ao Governo

O governador Renato Casagrande recebeu nesta quarta-feira (23), a diretoria da Fundação Renova, entidade sem fins lucrativos responsável pelas reparações e compensação do desastre de Mariana, para apresentação do relatório geral das atividades dos últimos meses e o planejamento para o futuro, com as principais ações da Fundação para o Espírito Santo.
Além da apresentação, foi aberto um canal de comunicação para questionamentos sobre as entregas de dados e análises técnicas a respeito da condição da água e do solo. Esse diálogo também garante sugestões para as áreas de comunicação, mobilização e participação popular, principalmente das cidades afetadas pelo desastre.
O secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fabrício Machado, que passa a coordenar o grupo do Governo responsável pelos trabalhos relacionados ao desastre, ponderou quanto à importância do diálogo e da articulação com o Governo Federal, numa agenda mais propositiva.
“É um novo momento da gestão do meio ambiente no Estado, de aproximação, com prioridade na transparência das ações, de maior comunicação com todos os envolvidos e tirando do papel e indo na direção de soluções concretas e assertivas”.
Fundação Renova
 
Criada em 2016, a Fundação Renova é uma entidade sem fins lucrativos, fruto do Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) entre Samarco, com o apoio de suas acionistas, Vale e BHP Billiton, e o Governo Federal, os Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Também participam o termo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Agência Nacional de Águas (ANA), o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), a Fundação Nacional do Índio (Funai), o Instituto Estadual de Florestas (IEF), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), a Fundação Estadual de Meio Ambiente (FEAM), o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA), o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (IDAF) e a Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGERH).

São atualmente 42 programas socioambientais e socioeconômicos geridos pela Fundação.
Foto/ Hélio Filho/ Secom
Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*