Ex-secretário de Desenvolvimento e noivo da prefeita afastada de Kennedy pode voltar a cadeia a qualquer momento

A liminar que foi concedida no dia 06 de janeiro pelo presidente do STF Dias Toffoli no seu plantão, foi revogada pelo relator do processo da Operação Rubi, Alexandre de Moraes, Zé Augusto pode ser preso a qualquer instante

da Redação

O ex-secretário de Desenvolvimento de Presidente Kennedy José Augusto Paiva e também companheiro da prefeita afastada Amanda Quinta, poderá voltar a prisão a qualquer momento. Isto é, a liminar que deu liberdade a José Augusto no início do mês de janeiro foi anulada pelo Supremo Tribunal Federal – STF no último dia 11.

O habeas corpus havia sido concedido no último dia 06 de janeiro pelo presidente do STF, ministro Dias Tóffoli durante o plantão da corte, entretanto, ao retornar do recesso judiciário, o relator do processo no STF da Operação Rubi, ministro Alexandre de Moraes revogou a liberdade de José Augusto e determinou que o réu retorne ao cárcere.

A defesa de José Augusto requeria para seu cliente a extensão dos mesmos benefícios concedidos a prefeita afastada, com a convenção da prisão em medidas cautelares.

Contudo o relator Alexandre de Moraes sustentou que, embora o casal “integrem, em tese, a mesma organização criminosa, o ex-secretário foi preso em flagrante com diversos armamentos, circunstâncias que detonam maior periculosidade e impede a aplicação do instituto da extensão dos efeitos da ordem concedia a Amanda.

A prefeita e o companheiro foram detidos em casa, na sede de Kennedy.    

Moraes citou a possibilidade de ameaças a testemunha e a necessidade da ordem pública. “A Operação Rubi ainda encontra-se em desenvolvimento, revelando um momento sensível de colheita probatória, que, indubitavelmente, deve ser resguardado, razão pela qual a conveniência da instrução processual também recomendada o acautelamento provisório dos autuados, não só para a garantia da ordem pública, mas também para evitar que possíveis testemunhas sejam ameaçados e outras provas sejam destruídas, considerando a pública e notória influência dos autuados na administração municipal de Presidente Kennedy”, ressaltou Moraes.

A reportagem tentou falar com o advogado de José Augusto, Thadeu Sobreira, mas não foi possível contato.

No banco nacional de mandados de prisão verificou que não mandado para José Augusto. 

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*