Espírito Santo recebe a Carreta Novartis da Saúde para combate à hanseníase

Serviço de saúde está percorrendo o país há 10 anos e já realizou mais de 2.300 diagnósticos de hanseníase.Taxa de prevalência da doença no ES em 2015 foi de 1,59/10 mil habitantes.

Após percorrer diferentes estados do Brasil, a Carreta Novartis da Saúde chega, em novembro, no Espírito Santo para levar atendimento gratuito e exames à população local como forma de combater a hanseníase, doença infecciosa crônica e curável que causa, sobretudo, lesões de pele e danos aos nervos. Os profissionais de saúde presentes esclarecerão também dúvidas a respeito da enfermidade. Além da hanseníase, outras doenças de pele, incluindo câncer, poderão ser identificadas e os casos serão encaminhados à Unidade de Saúde mais próxima.

A Carreta Novartis da Saúde chega na cidade de Venda Nova do Imigrante no dia 4 de novembro. Na sequência passará pelas cidades Afonso Cláudio, Santa Maria de Jequitibá, Cariacica e, no estado, finalizará o atendimento no município de Vila Velha.

A hanseníase é uma doença infecciosa crônica e curável que causa, sobretudo, lesões de pele e danos aos nervos. A doença já deveria estar erradicada, mas atinge cerca de 30 mil pessoas no país ao ano². Em 2017, foram notificados 1.232 casos novos de hanseníase no estado de São Paulo, um coeficiente de detecção anual de 2,73/100.000 habitantes.

O Brasil está em segundo lugar no ranking de países com novos casos de hanseníase², segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). No entanto, há uma redução de 34,1% no número de novos casos diagnosticados no país entre 2006 e 2015³. A queda é reflexo de uma série de ações implantadas para o enfrentamento da doença, como é o caso da Carreta Novartis da Saúde.

Combate à doença no país

A Carreta Novartis da Saúde está em atividade há 10 anos e já realizou mais de 70 mil atendimentos. Trata-se de um caminhão itinerante com cinco consultórios e um laboratório que percorre estados brasileiros, oferecendo atendimento gratuito e exames, além de esclarecer dúvidas e conscientizar a população sobre a prevenção.

Após o diagnóstico, os pacientes recebem o tratamento completo por meio de medicamentos da Novartis doados à Organização Mundial da Saúde (OMS), que os repassa a países como o Brasil. O tratamento poliquimioterapia (PQT), que está disponível gratuitamente em toda a rede pública do Brasil, cura a hanseníase, interrompe sua transmissão e previne as deformidades.

Além do atendimento à população, a Carreta realiza o treinamento de profissionais da área da saúde pública em parceria com a Associação Alemã de Assistência aos Hansenianos e Tuberculosos (DAHW).

O projeto é resultado de uma parceria com o Ministério da Saúde, com apoio do CONASS (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e do CONASEMS (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), que buscam a erradicação da doença até 2020.

A hanseníase, comumente conhecida como lepra, é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen, que lesiona os nervos periféricos e reduz a sensibilidade da pele. Geralmente, o distúrbio ocasiona manchas esbranquiçadas em áreas como mãos, pés e olhos, mas também pode afetar o rosto, as orelhas, nádegas, braços, pernas e costas.

Sobre a Novartis

A Novartis está reimaginando a medicina para melhorar e ampliar a vida das pessoas. Como líder mundial em medicamentos, utilizamos tecnologias científicas e digitais inovadoras para criar tratamentos transformadores em áreas de grandes necessidades médicas. Em nossa busca por novos medicamentos, somos constantemente classificados entre as principais empresas do mundo que investem em pesquisa e desenvolvimento. Os produtos da Novartis alcançam quase 1 bilhão de pessoas em todo o mundo e estamos encontrando maneiras inovadoras de expandir o acesso aos nossos tratamentos mais recentes. Cerca de 125 mil pessoas de mais de 140 nacionalidades trabalham na Novartis em todo o mundo. Saiba mais em http://www.novartis.com.

Foto: cidadesnanet.com

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*