Engenheiro Floriano Chácara morre após lutar 4 anos contra um mieloma múltiplo

Piúma perde o seu maior profissional do ramo de regularização de imóveis, Floriano Chácara. Um brilhante perito, um amigo sem igual, um cidadão horado e integro, um homem de coragem e de lutas. Que Deus o receba em seus braços

Floriano Chácara dedicou a vida a família e ao trabalho

O engenheiro Floriano Chácara, 63 anos, faleceu na Unidade de Terapia Intensiva – UTI do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim, na manhã desta quarta-feira, 05 depois de lutar bravamente contra um mieloma múltiplo – câncer.

Floriano descobriu a doença em 2016 depois de sofrer uma queda e fraturar a coluna. Na época, ele conversando com a editora do jornal contou que estava sentindo muitas dores na coluna e fazendo um tratamento com um ortopedista em Vitória.

O médico Joel Alves em visita a casa do engenheiro em 2016, achou estranho ver Floriano com as queixas, quando pediu para ver os exames de imagens que havia sido realizado. Imediatamente o aconselhou fazer outros exames, inclusive de sangue e no dia seguinte, aquela visita, Dr. Joel ao analisar os novos exames o aconselhou ir para Cachoeiro imediatamente, quando fora descoberta o mieloma múltiplo. Desde então, o engenheiro começou um tratamento médico intensivo, fez transplante de medula, realizou diversa quimioterapias, mas a doença acabou vencendo a batalha. (Estas informações foram repassadas pelo próprio Floriano a jornalista durante uma de suas visitas a imobiliária).

“Vou ser grata eternamente ao meu herói”, diz a esposa

Lucimar e Floriano tiveram um lindo filho, o Floriano Júnior

A esposa de Floriano Lucimar Martins Besteti Chácara esteve todo o tempo ao lado dele e muito abatida após a morte, ela fez um agradecimento na hora da missa de corpo presente: “Floriano foi um marido, companheiro, amigo, guerreiro que soube cuidar de mim e de meus filhos nos melhores e piores momentos. Foi meu melhor professor em todos os sentidos da vida, me deu forças pra lutar mesmo que o fracasso tentasse me derrubar. Vou ser grata eternamente ao meu herói, guerreiro, Floriano Chacara que eu tanto amei e vou amar eternamente, e que hoje se encontra nos braços de Deus”.

Perito com reconhecimento

Última visita da jornalista Luciana a Floriano no escritório

O engenheiro é natural da cidade de Novo Cruzeiro/MG. Dedicou-se aos estudos e priorizou a escola pública, exceto dois anos cursados no Colégio dos Padres em Teófilo Otoni, onde residiu dos 05 até os 17 anos.

Posteriormente Floriano escolheu o Espírito Santo para morar e trabalhar. Residiu em Vila Velha e Guarapari por vários anos. Atualmente residia em Piúma, onde mantém o escritório comercial com a sócia Silvana Boechat e Rosangela Ribeiro.

Chácara cursou Engenharia Civil na Universidade Federal do Espírito Santo – Ufes de 1977 a 1981. Pós-graduado em Perícia de Engenharia e Avaliações pela Univila. Sempre se atualizou na sua área de atuação com diversos cursos, entre eles: Transações Imobiliárias, corretor de Imóveis com registro no CRECI, membro do Instituto de Peritos do Brasil – Regional Capixaba – IBAPE-ES. Atuava há 38 anos no ramo da construção civil, tanto na elaboração de projetos, como na execução de construções e na avaliação e regularização de imóveis. É responsável por mais de 150.000 metros quadrados de construção.

Como perito judicial ou assistente técnico já atuou em centenas de processos, sendo seus laudos objetos de grandes elogios e destaque.

Parceria que durou 20 anos

Silvana Boechat e Floriano – duas décadas de parceria

Silvana Boechat começou a trabalhar no Escritório de Floriano no dia 13 dezembro de 1999, se tornou sócia e construíram uma vida profissional juntos e Rosangela Ribeiro começou um ano antes. Eram muito mais do que sócios, amigos confidentes. Um sabia o que outro sentia, apenas no olhar.

“Floriano foi um parceiro, amigo, durante mais de 20 anos. Se hoje somos as profissionais que somos agradecemos a ele. Ele nos ensinou muito e sempre nos apoiou em todos os cursos. Nos encontramos no momento em que ele e nós precisávamos. Como ele dizia: ‘não se pode mexer em time que está ganhando’, e hoje, amanhecemos com a notícia que ele se foi. Só nós três sabemos o que vivemos nesses anos todos. A ficha não caiu, vai em paz amigo, irmão”, salientou Silvana.

Rosangela Ribeiro trabalha com Floriano desde 1998

“Nesse momento pedir a Deus que lhe dê muita paz e luz. Das nossas histórias, muitas lembranças, das nossas experiências profissionais, uma gratidão imensa aos seus ensinamentos que me faz ser a profissional que sou hoje. Muito obrigada e vá em paz amigo”!, agradeceu Rosangela.

Chegada a Piúma

Entre os anos de 1985 e 1988 Consuelo Bussato trabalhava na Secretaria de Obras, na Administração do então prefeito Isaias Scherrer e o Cartório de Registro de Imóveis era em Iconha. Em seguida foi transferido para Piúma através do oficial de registro de Imóveis Marciano Herh.

Esta época, segundo Consuelo, o setor de imóveis estava em alta em Piúma haviam muitos imóveis para serrem regularizados. “Marciano já havia tido contato com Floriano Chácara, porém, o engenheiro tinha um escritório em Guarapari. A dificuldade de Piúma era regularizar os imóveis, eu consegui o contato de Floriano, fui até o escritório dele, passei a demanda da nossa dificuldade, perguntei se ele tinha interesse de abrir o escritório na cidade para melhor atender a população e os interessados no ramo. Ele se dispôs, veio conhecer Piúma, abriu o escritório. Nosso interesse era que o povo tivesse os problemas de documentações de imóveis resolvidos. Ele por ser advogado conhecia as leis, entendia de tudo, era uma pessoa maravilhosa. De lá prá cá ele veio trabalhando, se fez em Piúma. Abriu escritório na cidade e dominou o mercado. Uma pessoa muito amada por todos. Mudaram as administrações e ele trabalhava em Piúma, graças a Deus foi uma pessoa maravilhosa. Desenvolveu um belíssimo trabalho no setor imobiliário. Este momento é de muita dor, estamos de luto e muito tristes com a partida dele”, frisou Consuelo.

O primeiro amigo em Piúma

Muito entristecido com a notícia da morte de Floriano, o oficial de Registro de Imóveis Marciano Herh falou com a Reportagem de como conheceu o engenheiro. “Floriano desempenhou a função de engenheiro na cidade de maneira ímpar, profissional extremamente confiável. Tive o prazer de conhece-lo em meados de 1995 quando eu assumi o Cartório de 1º Oficio e Registro de Imóveis nesta comarca de Piúma”.

Marciano destacou que Floriano foi um engenheiro que fazia as regularizações, ou seja, a parte burocrática da engenharia junto aos órgãos competentes: prefeitura, receita federal, cartório… Na época Chácara morava em Guarapari e quando as pessoas que tinham os prédios, condomínios para serem regularizados até chegar ao cartório e a prefeitura existem uma série de documentos que são apresentados e Floriano dominava esta área com maestria e competência. “Eu o apresentava as pessoas aqui, ou elas se descolocavam a Guarapari, com o tempo passando ele foi descobrindo o mercado de Piúma e decidiu-se mudar para cá praticamente a meu pedido, porque Guarapari já tinha um mercado saturado, graças a Deus ele se deu muito bem aqui com seu trabalho honesto, sua competência, montou seu escritório a princípio na Rua Ourides Fornaciare, depois ele foi adquirindo seus imóveis com seu trabalho. Conseguiu construir uma casa muito boa, onde se encontra o escritório também muito bem situado e sempre desempenhando sua função com muita competência”.

Prova da competência do engenheiro em sua profissão é a maioria dos prédios que trazem a assinatura dele nos documentos que passaram pelos órgãos burocráticos da regularização de imóveis. “Eu lamento muito o falecimento, fui o primeiro amigo aqui em Piúma. Tive o prazer de conviver com ele todos estes anos. Uma pessoa extremante prestativa, nunca se negava a fazer um trabalho de forma brilhante. Foi um profissional digno de ser elogiado, uma moral ilibada, uma pessoa acima de qualquer suspeita. Estou muito sentido com esta notícia hoje”, ressaltou Marciano Herh.  

Um exemplo de pai

Nas redes sociais muitas pessoas lamentam a morte do engenheiro Floriano Chácara que deixou um legado na cidade de Piúma. O depoimento a seguir é de uma de suas filhas, Cynthia Fernandes Chácara Grilli postado no facebook do pai.

Um super pai – um exemplo

 “Você me mandou esta foto logo que se recuperou do transplante de medula e recomeçou suas caminhadas. Estava tão feliz, tão cheio de sonhos. Acho que de tudo que aprendi com você, o mais importante foi nunca perder a esperança na vida, a lutar sem desistir, a tentar outra vez se preciso fosse. Éramos tão parecidos em tantas coisas: na mania de sofrer calado, de sempre demonstrar força ( mesmo estando em pedaços), de não deixar transparecer nossos medos ou fraquezas, no orgulho em reconhecer o próprio erro, na obstinação, no perfeccionismo, no ritmo de vida corrido, sempre trabalhando, na garra de recomeçar, na dificuldade de dizer eu te amo (sempre foi mais fácil escrever do que falar, né?), enfim…
E hoje me pergunto o que vou fazer quando a saudade bater tão pungente, me deixando sem chão. Saudade de nós, do que vivemos, mas também do que deixamos de viver. Saudade do seu cheiro, você sempre foi o homem mais cheiroso do mundo. Saudade de pegar jacaré na praia de Itaparica, de você desembolando minha cabeleira, de ficar com ciúme dizendo que você gostava mais da minha irmã. Saudade do seu sorriso maior do mundo quando soube que passei no vestibular. E de você me dizendo todo período que não era pra desistir, toda vez que eu ligava chorando e dizia que ia largar o curso. Até que um dia parei de chorar e me achei na neo. Ah, pai! Por que a vida tem tantas curvas e numa delas de repente já não achamos o caminho de volta? Agradeço a Deus por ter tido a chance de te dizer o quanto eu te admirava e como hoje tenho maturidade para entender tantas das suas escolhas. Até aquelas que mais doeram em mim. Agradeço a Deus por ter tido a chance de dizer que te amo e que a minha força sempre foi inspirada naquele menino pobre e trabalhador que veio do interior de Minas. Eu pude dizer o quanto sou grata por ser sua filha. Pude cantar no seu ouvido e segurar na sua mão antes de você partir. Pude dizer adeus e te pedir que descansasse nos braços de Jesus, porque assim haveria um fim pra todo aquele sofrimento. O que me conforta é ter a esperança de um dia nos encontramos de novo, nos braços do nosso Deus.#nosbracosdopai

– “Grande amigo. Floriano Chácara Dos Santos. Descanse em paz. Sentiremos muitas saudades. Lembraremos sempre de você com carinho. Deus conforte o coração de todos os familiares” Família Jerônimo.

O filho mais novo tem o mesmo nome do pai

Floriano deixa a esposa, duas filhas do primeiro casamento e o filho mais novo que traz o nome dele.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*