Publicidade

“Em nome de Deus, autorizem os estupradores e condenem suas vítimas a 20 anos de cadeia!” – Texto de Luciana Maximo

Luciana Maximo – Editora Chefe do Jornal

O que a Câmara Federal fez nesta quinta-feira (12), foi, com licença da palavra, autorizar principalmente aqueles que agem em nome de Deus a estuprar, com o aval dos nobres defensores da moral. A bancada BBB – bala, bois, bíblia dará o álibi e brandará suas penas, caso sejam condenados a menos tempo de prisão que suas vítimas, que outrora ousaram permitir a assistolia fetal em casos de aborto oriundos de estupro após 22 semanas.

A carinha dos DEPUTADOS E DEPUTADAS que propuseram pena máxima maior para mulheres estupradas que realizar aborto do que para estuprador

Em nome de Deus e da moral, dos bons costumes, a bancada liderada pelos evangélicos e os conservadores de direita votou pela urgência no Projeto de Lei que altera o Código Penal e estabelece a aplicação de pena em casos de aborto em fetos com mais de 22 semanas.

Não estou exagerando, meninas, moças e mulheres ainda em idade de gestação: não basta ser a vítima, devem ser trancafiadas por 20 anos, com foto e uniforme prisional, conforme o artigo 121 do Código Penal.

Com muita pressa, sem muita discussão, os machos e fêmeas também machistas levaram a pauta e aprovaram a urgência nesta quarta-feira. Os bolsonaristas votaram a urgência de um projeto de lei que equipara o aborto a crime de homicídio.

O projeto altera o Código Penal, estabelecendo que a aplicação de pena de homicídio simples será para os casos de aborto em fetos com mais de 22 semanas, em situações em que a gestante provoque o aborto em si mesma ou consinta que outra pessoa o provoque; a pena passará de prisão de 1 a 3 anos para 6 a 20 anos. Quem provocar o aborto em outra pessoa, com ou sem o consentimento da gestante, também terá a pena aumentada: de 1 a 4 anos para 6 a 20 anos, e de 3 a 10 anos para 6 a 20 anos, respectivamente.

O PL votado ontem também altera o artigo que estabelece os casos em que o aborto é legal. Conforme o texto, apenas mulheres com gestação de até 22 semanas poderão realizar o procedimento. Após esse período, mesmo em caso de estupro, a prática será criminalizada. Vale lembrar que a lei brasileira não prevê um limite máximo para interromper a gravidez de forma legal.

Sabendo que o estupro é um crime que não acabará, pois, se não for sob a mira de uma arma, será consentido em casamentos fracassados, onde maridos insistem em obrigar suas companheiras a manter relações sob outras ameaças. Se engravidarem, vítimas, não esperem a 22ª semana, procurem, se ainda houver algum direito, se não for apenas o de ficar caladas.

Nesta altura do campeonato, com tantos santos endemoniados na casa de leis, tirar o resto dos direitos que possuem pode ocorrer na calada da noite, como aprovaram a urgência deste PL.

E para os estupradores, os maridos machistas que estupram cotidianamente suas esposas em relacionamentos já findados desde o primeiro tapa, seguidos de gritos e humilhações? Ah, a pena, se condenados, é de até 15 anos. Acaso os nobres engravatados conservadores e cristãos se importam com a estatística: por ano, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública recebe 56 mil denúncias de estupro de vulnerável, somente vulnerável, 153 casos por dia e seis a cada hora. Os que ocorrem dentro de suas casas, senhores, não são denunciados.

Para as vítimas, sejam crianças, moças ou mulheres, não menos que 20 anos; para os monstros, 15 anos no máximo! Eta Congresso brasileiro, retrógrado, nossa vergonha, escória, lixo engravatado!

O jogo sujo chegou a este ponto. Fantasiados de hipócritas que se dizem cristãos, os apoiadores dos estupradores, dos pedófilos e dos maridos violentos negociam na Câmara o voto em troca de seus próprios interesses, ou, quem sabe, legislam em causa própria.

Irmãos, conservadores e supostos cristãos: dos senhores, dos nobres senhores e senhoras, eu quero manter toda distância possível e desejar que suas filhas e mulheres não sejam obrigadas a gestar o feto de um monstro que as estuprou. Ah, e que o Diabo os carregue para as profundezas de um calabouço repleto de estupradores!

Esclarecendo: Eu sou cristã e como muitos outros não usamos a bíblia para hastear bandeiras que não condizem com práticas de um verdadeiro cristão que segue os ensinamentos de Jesus Cristo. Sejam menos hipócritas.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *