CORONAVÍRUS – farra, omissão e luto

‘Textão’ de opinião da jornalista em observação – foto – divulgação

A pandemia do coronavírus sacudiu o planeta e pelo que estou observando ainda não deu o recado devido para muitos. O vírus que tem matado tanta gente, quebrado economias, paralisado aeroportos internacionais, freado o trânsito nas maiores capitais, fechado as escolas, igrejas, ainda não foi capaz de ensinar o homem, o seu criador.

Hoje quando vi uma notícia de que um pronto socorro estava com as portas fechadas numa determinada cidade, pensei que deveriam mandar prender o prefeito, todos os vereadores, o governador daquele estado junto com os deputados, com toda a sua corja e talvez, até o promotor e o juiz.

Como assim, um cidadão que paga para ter direito a saúde bate à porta com tosse, com febre, com dor e falta de ar e não há vagas? Não, não tem vagas, volta para casa e morra! Eu confesso que me revoltei, com a matéria.

Bem, essa conversa de isolamento domiciliar é agradável para mim e confesso que gosto muito. Eu sempre amei ficar em casa, de portas e janelas com cortinas fechadas, ambiente mais escuro e silencioso, ouvindo uma música. Eu amo este clima, gosto de séries e filmes. Gosto de ler e amo escrever. Eu trabalho em home off numa boa, eu ganho dinheiro sentada, em casa.

E para mim ficar com as crianças é muito bom, eu adoro a companhia delas. Faria bolos, pasteis, pizzas, pudins, croissants, quindins, brigadeiros – todos os pratos e nada me incomodaria, de verdade. Faço com eles as atividades escolares com muito prazer. E sem contar que ainda temos a Ana, a melhor pessoa que o universo mandou para nos fazer companhia. Tem bom papo, comunica bem, sabe ensinar as crianças, gosta de coisas boas, ora comigo, reflete no mesmo texto, curte músicas e filmes afins. A gente é como queijo com goiabada.

É só o meu lado que eu preciso ver? Eu tenho de sentir o frio da vizinha que está sem casaco, a angústia do trabalhador que perdeu o emprego e está na fila da Caixa sem máscara torcendo para receber a migalha dos R$600.00, para ver o que vai fazer. Eu preciso sentir o olhar triste da dona de casa que não sabe o que vai cozinhar para o almoço. Infelizmente eu vejo crianças na mira de alcoólatras e drogados eretos, tios, padrastos, vizinhos…

Infelizmente, eu vejo mulheres silenciadas e marcadas…

É, o isolamento social que os profissionais de saúde e a mídia toda diz que é a forma ideal para frear o vírus, é mesmo viável pelos exemplos já vistos em outros países. Os testes para a doença também podem ajudar no controle, pois quem positivar se afasta dos seus e dos outros. ENTRETANTO…

OU, contudo, penso que era hora do vírus aparecer, e mesmo ele nos trazendo lições de que temos de aprender, a má intenção dos ladrões não para, a roubalheira é covarde e digna de uma surra de chicotes em praça pública.

Não é possível que o povo que morre a porta de uma unidade hospitalar sem atendimento, sem respirador, sem leito, famílias que nem velam e nem se despendem dos seus não veem um palmo além do nariz. A farra… A omissão. O deles tá na conta garantido…

Eu não sou seguidora do Coiso, não concordo com o vocabulário dele, não posso condená-lo por negociar com o Centrão, não sou contra o fim do isolamento, sou a favor da conscientização das pessoas. A favor de que todos tenham saneamento básico, acesso à educação de verdade, de que todos tenham emprego, tenham as portas da saúde abertas a qualquer hora e possam comprar o seu remédio, frequentar a sua academia, mas não é para todos…Há muitos sem comida, sem luz e sem água!  

Teríamos de ter ainda mais mortes, mais enterros feitos por tratores em valas comuns, a pandemia deveria mesmo varrer os congressos, as câmaras, as igrejas, os sinédrios, as sinagogas, as casas de leis, os prostíbulos, os palácios, todos que estivessem escondidos ratos imundos.

O que lamento é que, como diz Verdan, não estamos no mesmo barco e muitas pessoas vão morrer, porque a farra do Covid é só mais uma oportunidade para os que nunca tiveram limites. Morrerão de câncer, de Aids, de infarto, AVC, acidente, balas perdidas, erro médico…morrerão ainda mais e a desculpa é o coronavírus, era tudo que eles queriam…

Trancafiar famílias em casa alivia para eles, para tentarem ganhar tempo para ensaiar o próximo passo. Quem não tem sintomas graves, se isole em casa e corra só na hora que a UTI tiver superlotada e de preferência, que não tenha medicamentos para manter o coma induzido e sem respirador. Ou briguem pela Cloroquina e se esfolem mais nas redes sociais.  

Hipócritas – Luto, vala, caminhões frigoríficos, filas de caixões, cemitério movimentado, choro e despedidas sem abraços, este deveria ser o fim, o fim da humanidade que não tem tempo para os filhos, dos abusadores, dos pedófilos, dos homens que batem, dos que traem, dos que mentem, dos que poluem a natureza, dos que roubam, desviam, dos que superfaturam, falsificam, dos que só veem o seu umbigo, deveria ser mesmo o fim dos que negociam na calada cargos comissionados, teria que ser o fim dos fantasmas que se dizem servidores, dos corruptos, dos que não respeitam, e também dos que não sabem o que amar.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*