CHOCANTE: Iulian Urban 38 anos · Doutor em Lombardia: 21 Marzo 2020

Depoimento coletado por: Gianni Giardinelli – Enviado ao jornal por Jaqueline Taylor, piumense radicada na Itália – “Hoje se foram 683 pessoas…. Ontem 743”

“Nunca, nos pesadelos mais sombrios, imaginei poder ver e experimentar o que está acontecendo aqui em nosso hospital há três semanas. O pesadelo flui, o rio fica cada vez maior. No começo, alguns deles chegaram, depois dezenas e centenas e agora não somos mais médicos, mas nos tornamos classificadores e decidimos quem deve viver e quem deve ser mandado para casa para morrer, mesmo que todas essas pessoas tenham pago impostos italianos por toda a vida.
Até duas semanas atrás, meus colegas e eu éramos ateus; era normal porque somos médicos e aprendemos que a ciência exclui a presença de Deus.
Eu sempre ria dos meus pais indo à igreja.

Nove dias atrás, um pastor de 75 anos veio até nós; Ele era um homem gentil, tinha sérios problemas respiratórios, mas tinha uma Bíblia com ele e nos impressionou que a lia para os moribundos e os segurava pela mão.
Estávamos todos médicos cansados, desencorajados, psiquicamente e fisicamente acabados, quando tivemos tempo de ouvi-lo.
Agora temos que admitir: nós, como seres humanos, atingimos nossos limites, não podemos fazer com que mais e mais pessoas morram todos os dias.
E estamos exaustos, temos dois colegas que morreram e outros foram infectados.
Percebemos que alcançamos os limites do que o homem pode fazer. Precisamos de Deus e começamos a pedir ajuda a Ele quando temos alguns minutos livres; Conversamos uns com os outros e não podemos acreditar que, como ateus ferozes, estamos agora todos os dias em busca de nossa Paz, pedindo ao Senhor que nos ajude a resistir para que possamos cuidar dos doentes. Ontem o pastor de 75 anos morreu; até o momento, apesar de ter tido mais de 120 mortes em três semanas aqui e todos estarmos exaustos, destruídos, ele conseguiu, apesar de suas condições e dificuldades, nos trazer uma PAZ que não esperávamos mais encontrar.

O pastor foi para o Senhor e em breve o seguiremos também se isto continuar assim.

Não estou em casa há 6 dias, não sei quando comi pela última vez, percebo a minha inutilidade nesta terra e quero dar meu último suspiro para ajudar os outros. Estou feliz por ter retornado a Deus enquanto estava cercado pelo sofrimento e morte de meus semelhantes.”

Filipenses 4
“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.”

A testimony by Julian Urban, 38 years old, Doctor in Lombardy

Never in my darkest nightmares did I imagine that I would have seen and lived through what has been happening here in our hospital for the last three weeks. And the nightmare only grows; the river becomes bigger and bigger. At the beginning only a few arrived, then dozens, and then hundreds, and now we are no longer doctors, we have become mere sorters who decide who should live and who must be sent home to die, even if they are people who have paid Italian taxes for their whole life. Up until two weeks ago, my colleagues and I were atheists; this was normal because we are doctors and we have learned that science proves that God does not exist. I always laughed at my parents when they went to church.

Nine days ago, a 75-year-old pastor came to us for medical help. He was a kind man, he had grave respiratory problems, but he had a Bible with him and it impressed us that he was reading the Bible to the people who were dying and holding their hands.

We were all tired, discouraged doctors, psychologically and physically spent, and so we found that we were listening to him.

Now we must admit: as human beings we have reached our limits, there is nothing more we can do, and more people are dying every single day. And we are exhausted. Two of our colleagues have died and others are infected.

We realized that we have reached the limits of what man can do. We need God, and we have begun to ask for his help, when we have a few moments free. We speak among ourselves and we cannot believe that we who were fierce atheists are now seeking for interior peace by asking the Lord to help us to resist so that we can take care of the sick. Yesterday the 75-year old pastor died. Despite the fact that in the last three weeks we have had over 120 people die in our unit and we are all exhausted and feel destroyed, he succeeded, despite his own condition and our own difficulties, to bring us a PEACE that we no longer hoped to find.

The pastor went to the Lord, and soon we will follow him if things continue like this.

I have not been home for six days; I don’t know the last time I ate something; I realize my own worthlessness on this earth, and I want to dedicate my last breath to helping others. I am happy to return to God while I am surrounded by the suffering and death of my fellow men.”

Testimony gathered by Gianni Giardinelli

Philipians 4
“And the peace of God, which surpasses all understanding, will guard your hearts and minds through Christ Jesus.”

Foto: divulgação

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*