CERTIFICADOS: TJES estipula R$ 90 mil para soltar Fernanda e Carlos e um salário mínimo para a funcionária

TJES abaixa a fiança para 45 salários mínimos para a Fernanda e Carlos e 1 salário ara Ricarda, mas não solta  

O advogado José Peres Araújo que defende a secretária de Educação de Piúma, Isabel Fernanda Scherrer Rocha, o administrador do Instituto Viva de Pesquisas e Cursos Educacionais, Carlos Antônio M. Castro e a secretária da empresa acusada de venda de certificados, Ricarda dos Santos Souza informou na tarde desta segunda-feira, 19 que o Tribunal de Justiça do Espírito Santo – TJES baixou a fiança de 90 salários mínimos para 45, para Fernanda e Carlos, e um salário mínimo para Ricarda, a funcionária. E não concedeu a liberdade.

O valor continua bastante alto, chega a quase R$90.000.00 para a Fernanda e Carlos, R$89.220,00 considerando que o salário mínimo é de R$998.00. Já o valor para a funcionária é de um salário mínimo, R$998.00, deverá ser pago imediatamente e Ricarda ser posta em liberdade, até porque ela passa mal, segundo o advogado que a defende, José Peres.

De acordo com José Peres, o próximo passo é recorrer no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para derrubar a fiança estipulada pelo TJES de 45 salários mínimos, pois a famílias não dispõem dos valores.

Peres ressaltou que esteve com Fernanda no sábado e na medida do possível ela está bem, entretanto, Carlos está com problema de saúde e Ricarda também, muito abalada.  

Convém ressaltar que, a fiança estipulada inicialmente para cada acusado era de 90 salários mínimos chegando a quase R$270 mil, valor muito elevado para ser pago adiantou Peres por isso o habeas corpus.


CRONOLOGIA DOS FATOS

 

O caso

Terça-feira 13

A prisão

Três pessoas foram presas em flagrante, na tarde desta terça-feira, 13, em Piúma acusadas de venda de certificados de cursos de extensão falsos. Entre os detidos, a secretária de Educação de Piúma, Isabel Fernanda Scherrer, proprietária do Viva Instituto de Pesquisa e Cursos Educacionais, o esposo dela, responsável administrativo Carlos Antônio M. Castro e a secretária da empresa investigada, Ricarda dos Santos Souza.

Quarta-feira 14

Advogado acredita em crime com motivação política

Para o advogado, não dúvidas que a denúncia partiu de uma pessoa com viés político. “É uma pessoa que tem interesse político partidário no fracasso da administração do Professor Ricardo, com isso, miraram em atingir a administração do Professor Ricardo, miraram atingir a reputação da pasta, pois a mãe de Fernanda acaba sofrendo as consequências”. A mãe de Fernanda é Dona Marta Scherrer, vice-prefeita de Ricardo.

Quinta-feira, 15

Juíza arbitra fiança

A juíza da Comarca de Piúma Serenuza Marques Chamon arbitrou uma fiança no valor de 90 salários mínimos para os três presos em Piúma, Fernanda, Carlos Antônio M. Castro e Ricarda dos Santos Souza, funcionária.

De acordo com o advogado que defende os três acusados José Peres Araújo, a juíza concedeu a liberdade provisória dos três, porém arbitrou a fiança no valor de 90 salários mínimos para cada preso, ou seja, R$ 89.820,00 que somados chegam a R$269.460.00 mil reais, um valor bastante alto e complicado de levantar de uma hora para a outra.

Sexta-feira, 16

Advogado entra com habeas corpus no TJES.

Segunda-feira 19

TJES abaixa a fiança ara 45 salários mínimos, advogado vai recorrer no STJ

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*