Publicidade

Caminhoneiro que residia em Piúma morre em acidente na BR-101, em Guarapari

Max estava residindo em Piúma, mas ele era de Cachoeiro. Já possuiu dois açougues na Cidade das Conchas. Estava trabalhando como caminhoeiro

Um acidente envolvendo duas carretas ocorrido na tarde desta quarta-feira (23), na BR-101, próximo ao Trevo de acesso da cidade de Guarapari, resultou na morte do caminhoneiro conhecido como Max Janauê, que residia em Piúma, mas era natural de Cachoeiro de Itapemirim.

Fotos: internautas

A carreta conduzida por Max bateu na traseira de um veículo do mesmo tipo, que transportava uma carga de gesso. Com o impacto a cabine do caminhão ficou completamente destruída, esmagando o corpo do caminhoneiro e provocando sua morte.

Max morreu na hora com o impacto da batida

No momento do acidente chovia muito na rodovia e na região onde ocorreu a colisão formou-se uma grande poça d’água, que pode ter ocasionado o acidente.

chovia muito na hora do acidente/ foto internauta

Max Janauê possuiu três açougues em Piúma, um na Rodovia do Sol, bairro Niterói, próximo a ponte, um na Avenida Beira Rio, ao lado do Perim Material de Construção e outro anexo a sua residência. “Tive a oportunidade de conhecer Max em 1993 quando trabalhamos juntos no extinto Supermercado Valjoto, no bairro IBC em Cachoeiro de Itapemirim. Max era açougueiro e na época eu era confeiteira da padaria do supermercado. Ficamos amigos, anos depois nos encontramos em Piúma, ele era proprietário de um açougue próximo a ponte em Piúma. Logo Max começou a fazer anúncios no jornal. Ele estava em outro casamento, constituído outra família. Em Cachoeiro ele se relacionou também com uma amiga. Preferia acreditar que é mentira, que ele se foi. Um cara super honesto, um homem muito trabalhador, um pai de família exemplar, um ser humano incrível. Que Deus o receba em Teus braços e traga o conforto a seus familiares. Max, descanse em paz, você sempre foi um grande guerreiro. Morreu trabalhando. Uma lástima”, ressaltou a jornalista Luciana Maximo.   

Max era natural de Cachoeiro de Itapemirim, mas residia em Piúma

O corpo do caminhoneiro ainda está no local aguardando a chegada dos Corpo de Bombeiros para retirá-lo das ferragens. A pista está parcialmente interditada no local.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade