Braz Zagotto, vereador de Cachoeiro é refém com a família durante assalto em casa

Assaltante armado faz família de vereador de Cachoeiro refém de assalto em casa

 

Mais de 20 minutos de conversação, negociação com o bandido armado com um revolver ameaçando a todo instante matar a mulher Silvia e o Filho Gabriel, na sala da sua casa no bairro Vila Rica em Cachoeiro de Itapemirim. O vereador Braz Zagotto (SD) viveu momentos terríveis na madrugada desta sexta-feira, 21, na mira de uma assaltante.

O vereador de Cachoeiro foi mais uma vítima da violência sem limite que assola a sociedade, ele a mulher e o filho foram reféns de um assaltante com um revólver engatilhado em casa. Ele falou com a reportagem que o bandido levou uma merreca em dinheiro e dois relógios, não quis os três celulares porque achou que seria rastreado. Foram momentos de pavor.

De acordo com o vereador, o filho Gabriel havia acabado de chegar de um show em Domingos Martins. A mãe, Silvia, sua esposa estava na sala aguardando o filho, ela havia ligado momentos antes para Gabriel e ele disse que estava chegando em casa.

Ao parar o carro em frente à residência para abrir o portão, provavelmente o bandido estava a estreita, entrou e se escondeu sem que o filho de Braz o visse. Esperou Gabriel entrar e dormir, quando ficou tudo silenciosos e começou a andar pela casa. De repente, a esposa de Braz ouve um barulho e se levanta do sofá na sala, dá de cara com o homem, mais de 1 80 mt, negro com um revólver na mão, apontando para a cabeça dela. Desesperada a esposa do vereador começou a gritar, quando o filho acordou e desceu as escadas. O bandido tocou terror disse que mataria os dois, Braz se levantou um pouco zonzo e foi ver o que estava ocorrendo.

Mesmo momento o vereador começou a conversar com o criminoso, pedindo calma que ele entregaria tudo, ofereceu os celulares e mandou que ele levasse o que quisesse mas que não matasse a sua família. Depois de mais de 20 minutos de negociação, o bandido pediu ao vereador que abrisse o portão para ele. “Eu tive muito medo, achei que ele ia matar minha família toda. Quando eu fu abrir o portão imaginei que ele fosse me matar na garagem. Foram momentos de pavor e medo, graças a Deus ele não atirou. Conversei muito tentando acalma-lo, reagir não seria uma boa escolha, ele estava armado e doidão, podia fazer qualquer coisa, não tinha nada a perder. Queria dinheiro. Des nos livrou de uma tragédia”, contou o vereador aliviado.

Braz acionou a Polícia Militar – PM que compareceu só pela manhã, o bandido já tinha caído fora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*