Banda mineira ROÇA NOVA lança single homônimo com boa pitada de tempero capixaba

No dia 13 de novembro, sexta- feira, chega oficialmente aos ouvidos de todo o universo, o single Roça Nova, da banda mineira de mesmo nome. “Somos muito maiores que o corpo, ROÇA NOVA é ser muito com pouco”; a letra da canção já denuncia que o que vem por aí é arte sincera, que vai além do fazer musical por si só, mas com grandes propósitos artísticos e espirituais, além da poesia que grita, o ritmo, o groove, a simpatia e a energia desses “agronautas”, como eles se intitulam.

A partir desse dia, a canção Roça Nova poderá ser ouvida em todas as plataformas digitais, dando o pontapé incial à carreira dessa banda que promete muito sucesso, tamanha qualidade do som e do comprometimento deles com a arte. No mesmo dia também será lançado o videoclipe que todos poderão conferir no canal oficial no youtube.

 “Para nós, apesar de ainda termos muito trabalho pela frente e de vivenciarmos uma pandemia tão preocupante, esse é um momento de muitas realizações pessoais e coletivas. O lançamento do clipe e do single de estréia representa a realização dos sonhos de muitos profissionais e amigos, já que a Roça Nova trabalha de forma independente e conta com a colaboração de diversos músicos, produtores e artistas, além do nosso público que é realmente parte de nós”,confessa o Pedro Tasca.

No Espírito Santo a divulgação exclusiva é da Dona Música Produções, da artista, radialista e produtora Ivny Matos, que vai garantir que a canção Roça Nova integre a programação de pelo menos quatro rádios no estado, realizando assim o sonho de todo músico, que é ouvir sua canção no rádio.

Quem é a Roça Nova?

Roça Nova é uma banda mineira de caipigroove, fundada em 2019.

A banda mistura o rock rural com ritmos afro-latinos, caracterizando o surgimento de um novo gênero musical, o caipigroove, transacionando basicamente entre os ritmos baião, música caipira, congado, folia de reis, rock psicodélico e jazz mineiro. O grupo também mistura outros gêneros como MPB, afrobeat, funk, RAP e samba.

O trabalho da banda é permeado por temáticas de resistência frente as crises culturais, políticas, humanitárias e ambientais que atualmente se espalham pelas nações da América Latina. Liricamente, os compositores buscam inspiração na observação do cotidiano, na interpretação dos sentimentos e nos estilhaços da revolução tecnológica, uma possibilidade de universalização da música e cultura mineira.

As músicas são compostas, arranjadas e interpretadas por cinco amigos: Bernardo Leitão (percussão), Hector Eiterer (baixo), João Manga (bateria e voz), Marco Maia (guitarra) e Pedro Tasca (voz e violão).

A Roça Nova trabalha de forma independente e conta com a colaboração de diversos músicos, produtores e artistas. Entre os colaboradores mais frequentes que ajudam a formatar a sonoridade, estão os músicos e produtores Marco Maia e Pedro Tasca. Leonardo Leitão e Lucas Machado são os integrantes responsáveis pela arte gráfica, fotografias e vídeos.

A comunicação de imagem da Roça Nova se faz em recortes móveis de símbolos e signos referenciados nas canções, como colagens, sincretizados e organizados como estruturas orgânicas. O chapéu aparece como personificação de um “ser”, um elo com o público, fazendo com que o mesmo vire parte integrante dessa “roça”.

Tudo isso culmina em apresentações vibrantes de troca intensa de energia; com frases de guitarra transcendentais em timbres cortantes, linhas de baixo e bateria de muito groove, batuques ancestrais e vocais com timbres únicos e viscerais, numa ode à psicodelia lírica do sertão mineiro.

Roça Nova e os capixabas

De acordo com o dicionário Tupi Guarani, capixaba significa “Roça de milho”, roçado, terra limpa para plantação. Os índios que habitavam a ilha onde atualmente é o município de Vitória, capital do estado do Espírito Santo, chamavam de capixaba sua plantação de milho e mandioca.

“Hoje, quando falo em Espírito Santo, falo da terra que é também meu lar, que está presente nas minhas composições. Moro em Patrimônio da Penha/ES, minha casa é o Hostel Kajoama, onde recebo todos com a mesma hospitalidade em que a nossa vila e o Espírito Santo me recebeu. Foi aqui que pré-produzimos o “Tramóia”, em duas semanas de imersão.Meu desejo é que o nosso trabalho possa transmitir tudo isso”, declara João Manga.

Bem antes da idéia de uma Roça Nova, o Espírito Santo esteve presente na vida de três integrantes da banda; Bernardo, João e Pedro, que desde a infância, em Manhuaçu-MG, tiveram o Parque Nacional do Caparaó (divisa entre os dois estados) a poucos quilômetros de casa, como um local de refúgio e contato com a natureza. Tantas trilhas, acampamentos, estrelas, fogueiras e infinitas rodas de viola entre amigos fizeram parte da formação musical e espiritual dos três músicos mineiros.

João Manga (baterista e vocalista) ainda na infância, morou em algumas cidades capixabas como Piúma e Guaçuí. Em um passado mais recente, João retorna, dessa vez ainda mais próximo do Parque do Caparaó, na cidade de Pedra Menina – ES, onde junto com sua mãe, Kátia de Castro, abre as portas de sua cabana, a poucos passos da portaria do parque, inaugurando o querido Hostel Kajoama.

Em Julho de 2019, Pedro (vocalista) vai ao encontro do amigo e do local que inspirou Manga a compor canções como “Alma de Gato” e “O 1º Contato com o Rio”, que integram o disco de estréia da banda. Nessa ocasião, os amigos se apresentaram juntos, com suas canções autorais, pela primeira vez, em Patrimônio da Penha – ES, e essa apresentação foi um marco importante para o surgimento de um novo projeto, no qual Bernardo, João e Pedro se uniram à Hector e Marco (amigos e parceiros musicais de Pedro em Juiz de Fora – MG), para formar a banda Roça Nova. Hoje o hostel Kajoama tornou-se a nova base de refúgio, imersão e criação dos cinco amigos compositores.

Em dezembro de 2019 Roça Nova se apresentou no Festival Patrimônio da Música na Vila de Patrimônio da Penha e foi umas das campeãs do Terceiro Festival de Música do Matuto, que cunhou uma disputa somente de canções autorais.

Um ano depois daquela despretenciosa apresentação, em Julho de 2020, Pedro retorna à Patrimônio da Penha, com os amigos Marco (guitarrista) e Hector (baixista), para que junto do amigo Bernardo Leitão (percussionista), realizassem a pré-produção do disco de estréia da banda “Tramóia”, que será lançado em Janeiro de 2021.

Hoje o hostel Kajoama, situado em Patrimônio da Penha, novo lar de João Manga, tornou-se a nova base de refúgio, imersão e criação dos cinco amigos compositores.

O Espírito Santo já faz parte da história e do trabalho da Roça Nova. É só ouvir.

Fique por dentro de tudo!!

Site oficial: www.rocanova.art.br

Página do Instagram: https://instagram.com/roca_nova?igshid=1pfmhyf0bf5w3   

Link de pré-save: https://tratore.ffm.to/rocanova  

Canal oficial do YouTube: https://m.youtube.com/channel/UCqmUhKKKximH5rWRKc37Eag  

Facebook:https://mobile.facebook.com/rocaanova?_rdc=1&_rdr&refsrc=http%3A%2F%2Ftratore.ffm.to%2Frocanova

RÁDIOS DO ES:

FAMALEGRE 104,05 FM- Alegre

90,5 FM A MELHOR- Guaçuí

ENSEADA FM 87,9 – Itaoca

RÁDIO PIÚMA FM 87,9- Piúma

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*