Atílio Vivácqua: Meio Ambiente retoma construção de 73 fossas ecológicas no interior

Foram retomadas em Atílio Vivácqua, na última semana, as obras de melhorias sanitárias no interior do município. Por meio desta iniciativa, que está em sua segunda fase de execução, serão construídas mais 73 fossas ecológicas com tecnologia UASB, nas localidades de Antas, Córrego da Fama, Independência e Santa Tereza.

Viabilizadas por meio de convênio com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) – firmado após aprovação de projeto elaborado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente –, as obras tiveram de ser paralisadas, temporariamente, devido à pandemia de Covid-19. O investimento total será em torno de R$ 500 mil. 

“As fossas serão instaladas, prioritariamente, em moradias próximas a rios e córregos, com o objetivo de eliminar o despejo do esgoto residencial nesses afluentes, melhorando, assim, a qualidade da água”, explicou o secretário municipal de Meio Ambiente, Marcio Menegussi Menon.

Na primeira fase, também executada através de convênio com a Funasa e finalizada no primeiro semestre de 2020, foram implantadas 90 fossas sépticas, nas comunidades rurais de São Pedro, Linda Aurora, Alto São José, Vila Nova e Monte Verde.

Tecnologia trazida da Universidade Federal da Paraíba, a fossa ecológica tem como principal vantagem o baixo custo financeiro, aliado à alta eficiência ambiental, pois soluciona problemas decorrentes do lançamento de efluentes sanitários (também chamados de águas negras ou, simplesmente, esgoto bruto) nos córregos.
 
Barraginhas: propriedade atendida pelo projeto recebe visita de deputado estadual

Outra frente de preservação hídrica e de terreno desenvolvida na zona rural de Atílio Vivácqua, o “Projeto Barraginhas” recebeu, recentemente, a visita do deputado estadual Marcos Mansur. 

Ele esteve no município, no fim de dezembro do ano passado, e foi recepcionado pelo prefeito Josemar Machado Fernandes e pelo secretário de Meio Ambiente (com os quais, em conversa, colocou-se à disposição para futuras parcerias), que o levaram a uma das propriedades atendidas pela iniciativa, onde pôde conhecê-la na prática.

“Ao ficar admirado com o que viu, Mansur apontou o ‘Barraginhas’ como uma das soluções de conservação de água e solo tanto a nível regional, quanto estadual”, afirmou Menon.

por Felipe Américo Bezerra

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*